Resumo sobre a Pele Humana


A pele é o órgão que envolve todo o corpo e que determina o seu limite com o meio externo. É o maior órgão do corpo humano e abrange 16% do peso corporal do ser humano. Também integra ao grupo tegumentar, que também abrange pelos, unhas, glândulas sebáceas e sudoríparas e cabelo. Esse grupo se encarrega na proteção de órgãos internos e de tecidos, mantendo-os aquecidos, controlar as terminações nervosas e transmitir nutrientes para os tecidos e reservá-los.

Resumo sobre a Pele Humana

Além disso, ela também é responsável pelo controle do fluxo sanguíneo no corpo, evitando coágulos ou transtornos com o sangue. Como é um órgão de defesa orgânica, ela defende o corpo contra agentes nocivos presentes no meio ambiente. Também conhecida como cútis ou tez, o órgão é dividido em duas camadas: a derme e a epiderme, cada uma com suas particularidades e compostas por tecidos específicos.

Camadas da pele

A epiderme é a primeira camada, por ser a mais externa. Sua constituição baseia em tecidos epiteliais, compostos por queratinócios que lembram uma parede de tijolos. Por ser mais externa, apresentam maior chance de atritos em regiões como as palmas das mãos e dos pés. Entretanto, essas regiões são mais grossas.

Com uma alta concentração de queratina, a epiderme é a camada responsável pela proteção do corpo por ser mais resistente e impermeável. É na epiderme que se concentra o nível de melanina, responsável pela pigmentação e defesa imunológica.

Junto com essas características, a epiderme também é responsável em formar seus anexos cutâneos, que são os pelos, as glândulas sudoríparas e sebáceas, o cabelo e as unhas. Por não apresentar vasos sanguíneos, a epiderme é alimentada por nutrientes que são processados pela derme por meio de difusões. Sendo assim, a camada fica ainda mais protegida contra a presença de micro-organismos que podem causar transtornos ao revestimento.

Já a derme é a segunda camada mais profunda. Composta por tecidos conjuntivos, a derme tem como principal característica a presença de fibras, como o colágeno e a elastina, que garantem maior elasticidade e resistência. Essas fibras apresentam vasos sanguíneos e linfáticos e terminações nervosas.

Na derme há a concentração de células que produzem a matriz celular, os fibroblastos. Nessa camada ainda há subdivisões, com a camada papilar formada por um tecido conjuntivo frouxo e a camada reticular, que apresenta um tecido conjuntivo mais denso.

Ainda há a hipoderme, que não está presente na pele, mas tem a função de proteger o corpo contra o frio, devido à presença do tecido adiposo em sua consistência. Sendo uma conexão entre a derme e a fáscia muscular. Dessa forma, a hipoderme regula a sensação térmica do corpo, faz reserva de nutrientes energéticos e dá sustentação a outros órgãos internos.

Tipos de pele

  • Mista: apresenta uma mistura de textura alípica na região das bochechas e textura graxa na área central do rosto (nariz, região das pálpebras e testa);
  • Hidratada: concentra uma alta dose hídrica no revestimento, também conhecido como hiperidrose. Também ocorre maior transpiração e não tem dificuldade em estar desidratada;
  • Graxa: tem um nível aumentado de secreção sebácea pelo corpo, especialmente o rosto. Isso ocorre devido uma emulsão do tipo A/O mais concentrada do que em outros tipos;
  • Desidratada: a sua produção sebácea não é tão aumentada e nem abaixo do normal, mantendo-se num estágio considerável. Contudo, sua concentração hídrica é menor, daí a atenção em mantê-la mais hidratada;
  • Endérmica: é o tipo mais equilibrado de todos. O conteúdo hídrico não ultrapassa o nível graxo e vice-versa. Em virtude disso, o revestimento é mais resistente, flexível, não tem problemas com a hidratação, é mais lisa que as demais e permanece umedecida naturalmente, além de ter uma secreção sebácea num estágio considerado normal;
  • Alípica: é a versão oposta do tipo graxo. A secreção sebácea tem emulsão abaixo do nível comum, porém o conteúdo hídrico permanece num nível normal.

Como qualquer outro órgão, a pele também requer cuidados contra doenças e infecções. De acordo com o tipo que cada pessoa tem, as doenças podem ser mais comuns para aparecer ou não. Por ter como principal função a defesa orgânica do corpo, é normal que algumas doenças possam aparecer no revestimento que precisam ser cuidadas. Algumas delas são:

  • Acnes;
  • Melanoma;
  • Psoríase;
  • Impetigo;
  • Câncer de pele;
  • Rosácea;
  • Vitiligo;
  • Varicela (ou Catapora, como é conhecida em outras regiões);
  • Herpes Zórtes (doença também conhecida como “telha”)

Em todas essas ocasiões, a dor pode ser o sintoma mais comum. Alguns outros sintomas podem aparecer como vermelhidão, coceiras, escamações, bolhas e outras ocorrências por se tratar de um órgão sensível. A atenção precisa ser redobrada na limpeza, hidratação e preservação do revestimento, a fim de protegê-lo ainda mais contra vírus e bactérias. Em resumo, ela é uma parte vital do corpo que precisa de total cuidado e proteção.