Resumo sobre Fruto


O fruto é originário do ovário amadurecido da flor depois da fecundação. Quando não existe fecundação chama-se de fruto partenocárpico. O fruto está presente em todas as angiospermas, em que a semente fica protegida quando amadurece. A parede do fruto de chama pericarpo. Existe uma divisão entre epicarpo (casca) e mesocarpo e endocarpo.

Resumo sobre Fruto

Como os frutos provêm do ovário das flores, após a fecundação dos óvulos o ovário começa a crescer e modificar os tecidos por conta da influência de hormônios vegetais. Tudo isso modifica estrutura, cor, consistência e sabor. Os frutos ficam fechados nas sementes até a maturação. Na hora da germinação das sementes os frutos amadurecem podendo se abrir e jogar as sementes no chão.

Quanto a principal função do fruto é a de proteger a semente que está se desenvolvendo. Conforme a evolução as plantas desenvolveram novos tipos de frutos e formas de dispersar as sementes o que configura a grande quantidade de frutos diferenciados, com formas, cores e sabores diversos. Alguns apenas expelem as sementes, outros explodem jogando-as mais para longe. Algumas ainda dependem que animais a levem para outros locais e os que têm espinhos prendem-se a pelagens de animais para serem depositadas em locais ainda mais longes.

Tipos de frutos e classificação

Os frutos têm três tipos diferentes:

  • Agregado: provindos de flores com vários ovários;
  • Simples: provindo de flores com apenas um ovários;
  • Múltiplo: provindo de ovários com mais de uma flor.

Já os frutos secos possuem a seguinte divisão:

  • Deiscentes: após amadurecerem eles se abrem normalmente para liberar as sementes.
  • Indeiscentes: não abrem quando terminam o processo de amadurecimento.

Os frutos carnosos podem se dividir em:

  • Drupa: criam um caroço em torno de apenas uma semente existente no fruto.
  • Baga: tem diversas sementes que se separam com facilidade do fruto.
  • Pomo: trata-se de um pseudofruto com carpelos.
  • Cápsula: um fruto seco com poros e fendas longitudinais.
  • Folículo: apenas uma fenda longitudinal.
  • Aquênio: frutos indeiscente e seco em que o pericarpo está aderido a apenas uma semente.
  • Legume: abre-se em duas fendas longitudinais;
  • Sâmara: fruto indeiscente e seco em que o pericarpo tem expansões aladas.
  • Noz: fruto seco com somente uma semente;
  • Síliqua: quatro fendas longitudinais.
  • Pixídio: abre-se por septo transversal.
  • Cariopse: fruto seco indeiscente com pericarpo aderido a apenas uma semente.

Estrutura

Lembra-se da divisão de epicarpo, mesocarpo e endocarpo? Vamos entendê-las melhor:

  • Epicardo (exocarpo): trata-se da camada mais externa, membranácea e fibrosa. Ela pode ser rugosa, pilosa, lisa ou espinhosa. Chama-se, em geral, de casca por ser a parte mais externa do fruto e se origina da epiderme do carpelo.
  • Mesocarpo: ela fica logo abaixo do epicarpo, armazena substâncias de reserva por isso é mais suculenta. A origem é do mesofilo carpelar.
  • Endocarpo: parte mais interna do fruto, caracterizando-se por ser mais rígida e por envolver as sementes. Sua origem está na epiderme interna da folha carpelar.

Os pseudofrutos

Não são frutos verdadeiros, mas sim provindos do ovário de outra área da flor. Podem se dividir em:

  • Pseudofruto simples: provém de uma flor com ovário desenvolvido em outra área da flor.
  • Pseudofruto múltiplo: trata-se de flores com diversos ovários e cada ovário apresenta um fruto.
  • Pseudofruto composto: trata-se do desenvolvimento de inflorescência.

Germinação da semente

A semente é o óvulo da flor após a fecundação. Ela abriga o embrião, ou seja, o que se tornará uma planta. Para que a semente germine é preciso que fatores internos e externos se combinem:

Fatores externos:

  • Maturação;
  • Não estar velha;
  • Estar inteira;
  • Ter reservas nutritivas;

Fatores externos:

  • Temperatura de acordo;
  • Umidade, ou seja, água no solo;
  • Oxigênio, logo o solo precisa estar foto para que o ar entre e encontre as sementes.

A semente é composta por dois itens, principalmente: o embrião que é o formato da planta quando há a germinação e o albúmen que possui substâncias nutritivas que alimentam a planta no início do seu desenvolvimento. Lá no embrião existe o cotilédone que absorve essas substâncias do albúmen e alimenta na nova planta até que ela possua folhas e raízes.

Nesse âmbito as angiospermas se dividem em suas subcategorias: dicotiledôneas e monocotiledôneas. Isso se refere ao número de cotilédones que a planta possui, as que têm apenas um são monocotiledôneas. Com dois ou mais dicotiledôneas. Na primeira o albúmen é bem desenvolvido e na segunda, pouco desenvolvido. Por isso as substâncias de nutrição podem ficar armazenadas no cotilédone.

Ao contrário do que se pode pensar fruta não é um termo botânico, mais um nome vulgar para frutos e pseudofrutos que são comestíveis, sejam azedos ou adocicados. Por outro lado há quem pense que frutos não são adocicados, o que também está errado. Dessa forma toda fruta é um fruto ou um pseudofruto. Existem diversas divisões de frutos e frutas que podem confundir quem as estuda.