Resumo sobre o filo Hemicordados


Os hemicordados ou hemichordatas (do latim hemi = metade e de chorda = corda) são um filo de animais marinhos bastante controversos entre os biólogos e outros cientistas que estudam o reino animal, especialmente por sua morfologia.

Resumo sobre o filo Hemicordados

Por terem fendas branquiais, estes animais já foram classificados como chordatos, isto é, os animais que possuem tubo nervoso central, simetria bilateral, sistema digestório completo, cauda pós-anal em pelo menos uma fase da vida e, claro, brânquias.

Peixes, anfíbios, répteis, tubarões e lampreias são exemplos de animais pertencentes ao filo chordato. Além disso, há poucas espécies deste filo, o que dificulta ainda mais a classificação dos mesmos. No entanto, hoje é consenso entre os especialistas que eles têm seu próprio filo.

É importante frisar que os hemicordados se dividem em duas principais classes: enteropneusta e pterobranchia. Apesar de serem espécies diferentes, há características fisiológicas e morfológicas comuns, como órgão muscular e secretório pré-oral, corpo tripartido (colar, tronco e probóscide), dutos mesotélios valvares, coração, estomocorda e complexo glomérulo e extensão ventral pré-anal.

Morfologia

O protossomo é a estrutura básica de todo animal hemicordado adulto, no qual se localiza o órgão pré-oral, o mesossamo e o metassomo.

Quando tratamos dos Enteropneustas, o órgão pré-oral e uma espécie de apêndice alongado encontrado na cabeça (probóscide), que serve tanto para secretar o muco a alimentação, quanto para a locomoção.

Já o mesossomo é uma espécie de colarinho, pois é mais grosso que o restante do corpo do animal, e fica logo após a boca. Por fim, o metassoma é o tronco do corpo dos Enteropneustas, que termina no ânus e é pontilhado por diversos pares de poros branquiais.

Quando tratamos de Pterobranchia, estamos falando de algumas diferenças morfológicas em relação aos Enteropneustas. A primeira delas é a torção do corpo, fazendo com que o trato digestivo dos animais fique com formato de “U” e que o ânus se localize dorsalmente. O chamado escudo cefálico é o órgão pré-oral, que também serve para a locomoção e a alimentação. Abaixo do escudo cefálico fica a boca e, na sequência, os braços que possuem tentáculos cuja principal função é excretar secreção e levar partículas de alimentos à boca do animal. Estes tentáculos são ligados ao mesossoma, e o metassoma é divido em tronco e pedúnculo.

Fisiologia

Na sequência, serão explicitados alguns dos aspectos da fisiologia dos hemicordados, ou seja, sua reprodução, locomoção, alimentação e sistemas respiratórios e circulatórios.

Reprodução

Na grande maioria dos hemicordados, a reprodução ocorre por meio da fertilização externa (reprodução gonocórica), por meio da liberação de gametas no meio em que vivem. Em alguns poucos animais, há a possibilidade da fecundação ocorrer internamente, uma vez que já foram encontrados embriões no interior do cenécio.

Mais uma vez, é necessário fazer a diferenciação entre as duas classes que pertencem ao filo. Os Pterobranchias possuem uma ou duas gônadas, enquanto que nos Enteropneustas há diversas gônodas.

Locomoção

Como têm forma de verme, o corpo dos Hemicordados é sustentado de duas maneiras: pela hidrostática, desencadeada pelas cavidades corpóreas, e pela própria parede de seus corpos, sendo que em indivíduos adultos há o divertículo bucal, que opera como uma espécie de esqueleto, dando ainda mais sustentação.

Sendo assim, os movimentos de locomoção desses animais são bastante limitados, feita através do rastejamento e também por meio da cavação.

Alimentação

Há dois principais tipos de alimentação: a alimentação por meio de sedimentos ou por suspensão, sendo que um tipo não exclui o outro, ou seja, a maioria dos hemicordados podem se alimentar das duas maneiras.

Na alimentação por substrato, os animais criam corrente com o movimento de seus cílios para facilitar a captação do material orgânico. Mas o papel dos cílios não se encerra aí, já que, juntamente com o moimento da água no interior do animal, torna a deglutição do material orgânico mais simples.

Na alimentação por suspensão, os tentáculos derivados do mesossomo se estendem para que possam capturar o alimento, e o muco presente no tentáculo permite que o alimento capturado seja levado até à boca.

Sistema respiratório e circular

O sistema circulatório dos hemicordados é altamente desenvolvido, o que fez com que vários autores buscassem terminologias para realizar sua descrição. Aqui, adota-se a terminologia de Brusca, segundo a qual o sistema circulatório é formado por seios que são conectados aos vasos sanguíneos que se conectam a vesícula cardíaca, órgão localizado na probóscide.

O sangue corre antes no vaso dorsal e depois no vaso central. O primeiro vaso, ao levar sangue para o colarinho, forma um seio venoso que é ligado ao seio venoso central da probóscide, que por sua vez é localizado entre o divertículo da boca e a vesícula cardíaca. Assim, quando esta pulsa contra o seio central, o sangue é bombeado pelos seios do glomero (órgão excretor). Partindo do glomero, o sangue flui pelos seios e vasos até alcançar o vaso longitudinal ventral.