Tecidos de Condução De Seivas: Vasos Lenhosos, Xilema, Floema e Vasos Liberianos


Tecidos de Condução De Seivas

Os tecidos de condução de seiva são os responsáveis pelo transporte da seiva no corpo das plantas traqueófitas. No entanto, estes tecidos são constituídos por diferentes tipos de células, que resultam de processos distintos.

Vasos lenhosos

Os vasos lenhosos são alguns dos principais tipos de tecidos de condução de seiva, os quais são compostos por dois tipos de células específicas: as traqueídes e as traqueias.

As traqueídes são cilindros ocos bastante finos que possuem um grande número de pontuações, de forma que as traqueídes adjacentes possam comunicar-se por meio deste cilindro. Já as traqueias são células que fazem com que os vasos lenhosos tenham uma aparência bastante semelhante a grandes tubos.

Xilema

O xilema é um tipo de tecido que permite a condução, especialmente de seiva bruta, ou seja, água e sais minerais, sendo assim essencial para a vida das plantas.

É comum que o xilema forme sistemas de condução de seiva que se estendem desde as raízes de uma planta até suas folhas, percorrendo assim todo seu corpo.

Floema

Também podendo ser conhecido como líber, o floema é um tipo de tecido que permite que as seivas elaboradas, ou seja, as soluções orgânicas, possam ser enviadas para todas as partes vivas de uma determinada planta a partir de suas folhas, de maneira que esta seiva chegue a toda a planta.

A formação do floema acontece em conjunto com um sistema composto por vasos liberianos e um parênquima liberiano, além de fibras esclerenquimáticas, permitindo assim um floema completo.

Vasos liberianos

Os vasos liberianos são vasos compostos por dois tipos distintos de células, os quais podem ser definidos como células companheiras e elementos de tubo crivado.

Estas células são vivas e de formato bastante alongado, fazendo com que a seiva possa ser conduzida por eles e chegar até diferentes partes de uma determinada planta.