Teoria de Oparin e Haldane


Um dos fatos que mais intrigam a humanidade é como a vida surgiu na Terra. As tentativas de encontrar pistas sobre o assunto acabam levando cientistas a fazer outras descobertas importantes. Foi o que aconteceu com Aleksandr Ivanovich Oparin e John Haldane, que na década de 1920 criam uma hipótese sobre a origem da vida baseada na evolução química.

Teoria de Oparin e Haldane

Ambos fizeram publicações com o mesmo título, “A Origem da Vida”, e no mesmo período, baseados na teoria anterior do biólogo inglês Huxley. Além da Teoria Oparin e Haldane, inúmeras outras surgiram para explicar a questão, mas até hoje nenhuma foi totalmente aceita pela comunidade científica e reconhecida como a verdade absoluta.

Como Oparin e Haldane chegaram à Teoria

Tanto o bioquímico russo Aleksandr Oparin quanto o biólogo inglês John Burdon Haldane, tentam explicar em suas respectivas publicações que a origem da vida é um resultado da evolução química presente na Terra. Ou seja, pelo condicionamento do meio, foram criadas formas moleculares sendo algumas dominantes e capazes de se desenvolver com maior complexidade.

Para ambos, a origem da vida foi resultado de várias combinações de moléculas orgânicas, que num primeiro momento eram comportadas de acordo com as propriedades de seus átomos. Mas que em seguida começaram a receber um aumento de sua complexidade até terem novas propriedades e arranjos.

No início eram os compostos inorgânicos simples, até chegarem aos mais complexos. Segundo os autores, há mais de 3,5 bilhões de anos a Terra era um planeta coberto de metano, hidrogênio, amônia e vapor d´água, que ao iniciar seu resfriamento começou a formar rochas.

O ciclo d´água começou com a condensação do vapor, que logo formou chuvas que criaram o que hoje chamamos de rios, lagos e mares. Essas formações de água acumularam compostos orgânicos e os coacervados, um conjunto de moléculas proteicas que se duplicavam e formavam outras formas que podem ser considerados os primeiros seres vivos.

Outros componentes fundamentais para essa teoria são as descargas elétricas muito comuns nesta época, tal como a radiação ultravioleta vinda dos raios solares, já que a Terra ainda não possuía a camada de ozônio. A junção das descargas elétricas quanto a radiação ultravioleta provocavam o surgimento de novas moléculas, dentre elas os aminoácidos. Eles são os principais formadores de proteínas e um componente relevante na origem da vida.

A partir desses compostos presentes na Terra, a Teoria de Oparin e Haldane pontua a formação de moléculas orgânicas, a formação dos coacervados e a evolução para organismos capazes de se reproduzir.

Para Oparin e Haldane, a Terra primitiva era muito semelhante à atmosfera redutora de Júpiter, que também possui essencialmente o metano, a amônia, o hidrogênio e a água em seu território.

A credibilidade da Teoria de Oparin e Haldane hoje

Assim que foram publicadas, os textos de Oparin e Haldane não teve boa repercussão entre a comunidade científica, especialmente no ocidente. No caso de Oparin, houve uma rejeição causada pelo seu comportamento diante do governo ditatorial de Stalin, que prendeu e matou alguns geneticistas.

Mas hoje, mesmo dois séculos depois de lançada, ela é bem aceita pelas evidências corroborativas encontradas. Alguns experimentos, como os realizados por Miller e Urey em 1950, comprovaram a formação de estruturas orgânicas a partir dos elementos relatados por Oparin e Haldane.

Em análises fósseis foram identificados microrganismos com mais de 3.5 bilhões de anos, o que acentua a credibilidade da Teoria de Oparin e Haldane. Baseado nos textos deixados pelos dois cientistas, a evolução da vida ocorreu através das moléculas orgânicas como os aminoácidos, que foram levadas para a crosta terrestre pelas chuvas, sofreram reações e transformações, foram crescendo e se tornaram mais complexos, chamados de protobiontes ou coacervados, que absorveram e sofreram reações químicas que os tornaram tão complexos quanto os componentes dos seres vivos.

Ambas as hipóteses de Oparin e Haldane eram divididas em três partes:

– Síntese pré-biótica de moléculas orgânicas, com a união de compostos inorgânicos e que aliado ao ambiente, as descargas elétricas e a radiação se transformavam em moléculas orgânicas;

– União de moléculas, quando elas começam a se tornar mais complexas;

– Evolução, quando os organismos criados vão sofrendo mutações até tomaram as formas como são conhecidos atualmente.

Aleksandr Oparin é um biólogo e bioquímico russo, nascido em 1894 e formado pela Universidade de Moscou em 1917. Sua teoria teve uma primeira versão publicada em 1924, mas foi a segunda de 1938 considerada essencial para a base da explicação científica da vida nos dias de hoje. Com forte identificação com Darwin, especialmente no conceito da competição e seleção natural na organização das moléculas, Oparin alega que não havia diferenças entre os organismos vivos e sem vida, que só foram de fato se desenvolvendo pelo arranjo de seus componentes.

Já John B.S.Haldane era um geneticista e biólogo inglês nascido em 1892. O cientista também era um marxista e um dos fundadores da Genética populacional, com inúmeras colaborações técnicas até mesmo para a América na II Guerra Mundial. Com cidadania indiana, Haldane é um dos criadores da teoria da Origem da Vida, junto a Oparin. Sua publicação foi lançada em 1929.