Resumo Basquete


Acredita-se que o basquete surgiu em Springfield, Massachusetts, nos Estados Unidos em 1891. O responsável por criar essa modalidade esportiva foi um pastor presbiteriano chamado James Naismith, que lecionava Educação Física na Associação Cristã de Moços (ACM). A ideia era permitir que os alunos realizassem alguma atividade física coletiva em um ambiente interno, pois o frio os impedia de jogarem ao ar-livre. Para atender a esse pedido, o professor Naimsmith dividiu os estudantes em duas equipes e definiu que os atletas só poderiam se deslocar com a bola se batessem com ela no chão. Determinou ainda a meta principal, que era fazer com que a bola entrasse no cesto. Vencia então o grupo que fosse mais bem sucedido nessa ação. Relatos do período indicam que todas as bolas arremessadas dentro do cesto tinham de ser retiradas com a ajuda de uma escada. Isso porque o fundo da cesta só seria aberto um tempo depois. A partir dessa medida, a bola podia retornar para quadra rapidamente para que o jogo reiniciasse.

Resumo Basquete

Já o basquetebol feminino é implementado no ano seguinte, em 1892. No entanto, o primeiro jogo oficial aconteceu apenas em 1896. A responsável por instaurar a atividade entre as alunas foi Senda Berenson, professora de educação física da do Smith College. Ela conduziu algumas mudanças nas regras estabelecidas por James Naimsmith.

O nome vem do inglês, basketball e significa bola no cesto. Atualmente, o basquete é um dos esportes de maior consagração no mundo, sendo praticado por mais de 300 milhões de indivíduos. Ao todo, há cerca de 170 nações afiliadas ao órgão internacional da atividade, a FIBA. Datada de 1892, a primeira partida oficial de basquete (masculino) apresenta regras bastante distintas das aplicadas agora.

Na época, usava-se uma boa igual à de futebol e cada time tinha nove jogadores. As equipes com cinco participantes passaram a ser a norma entre 1897 e 1898. Só em 1981 cria-se a primeira bola oficial específica para esse esporte. O auge do basquete se deu a partir de 1936, quando foi elevado à categoria de modalidade olímpica nos Jogos de Verão de Berlim. Saiba a seguir como o esporte chegou ao Brasil.

O basquete no Brasil

Graças a August Shaw, um norte-americano que já em 1892 conheceu o basquete. Além de uma bola, a bagagem de Shaw tinha diversos livros sobre o esporte. Ele foi chamado para dar aula na respeitada Mackenzie College, em São Paulo. Com isso, o Brasil foi uma das primeiras nações a ter contato com a atividade. Contudo, é interessante destacar que o basquete não foi aceito logo.

A resistência maior veio por parte dos homens, que achavam que o jogo era direcionado às mulheres. Sendo assim, o sexismo representou um desafio para a implementação da modalidade. Em 1896, enfim, o professor convenceu os estudantes e conseguiu organizar um time de basquete na instituição.

Em 1912, tem-se o torneio inaugural de basquete no país. O centro do Rio de Janeiro, então capital federal, foi escolhido como local do evento. No ano seguinte, o America é o primeiro clube do Rio de Janeiro a contar com uma equipe de basquete. Ainda assim, a Fundação Brasileira de Basketball, depois rebatizada de Confederação Brasileira de Basketball, seria fundada apenas em 1933. Apesar de termos nomes populares no esporte, como Oscar Schmidt, Hortência, Janeth e “Magic” Paula, sua prática ainda fica muito restrita a clubes e escolas especializadas. Nesse aspecto, o basquete assemelha-se ao handebol em sua aceitação entre os brasileiros.

Os aspectos fundamentais do basquetebol

  • Bandeja: arremesso que é concluído depois de uma corrida em direção ao cesto.
  • Jump: fala-se do arremesso executado durante um pulo para dificultar a ação do marcador adversário;
  • Fintas: é uma espécie de drible do basquetebol, tendo em vista que se refere ao movimento feito com a bola para enganar o oponente;
  • Rebotes: quando a bola não entra no cesto após um arremesso, o jogador tem a chance de tomá-la de volta para o seu time.

No basquete, dar mais de dois passos sem quicar a bola na quadra é visto como falta. Da mesma forma, permanecer por mais de 3 segundos dentro do garrafão implica penalização. Também não se pode reter a bola por tempo superior a cinco segundos sem arremessá-la para o cesto ou para um colega de equipe. Por fim, é falta encostar na mão ou no braço do atleta que estiver com a bola.

A pontuação é a seguinte:

  • Lance-livre: é marcado quando uma equipe excede o limite de faltas ou quando um jogador vai fazer o arremesso para o cesto e sofre a falta. Nessa situação cada vale um ponto.
  • Arremesso: em condições normais durante a partida, cada cesta vale dois pontos.
  • Arremesso de três pontos: quando o jogador faz a cesta arremessando detrás da linha de três pontos, o lance vale, por óbvio, três pontos.