Resumo Ginástica Olímpica


Conhecida no Brasil mais comumente como ginástica olímpica, a ginástica artística é a modalidade em que os atletas devem se apresentar em aparelhos realizando um conjunto de exercícios, mostrando graça e domínio do corpo. As competições podem ser individuais ou por equipes, mas as apresentações são sempre individuais. As disputas são divididas entre as competições feminina e masculina.

Resumo Ginástica Olímpica

Os movimentos das apresentações na ginástica devem apresentar algumas características, como:

A prática da modalidade costuma começar muito cedo, tanto para homens quanto para mulheres, e exige muito de seus adeptos. A ginástica desenvolve concentração, flexibilidade, sociabilidade, coordenação motora, entre outros benefícios.

A Federação Internacional de Ginástica (FIG) é responsável por regular as competições oficias dessa modalidade. Ela atua estabelecendo o calendário e as normas dos eventos internacionais. Em competições locais a regulação é feita por federações locais. Outra atribuição da FIG é o Código de Pontuação, que traz orientações em relação à avaliação, elaboração, e composição das séries em cada uma das provas e é utilizado por árbitros, técnicos e ginastas.

A FIG também define pontuações baixas para movimentos muitos perigosos, para desmotivar sua execução e preservar os atletas. Outras medidas são tomadas com o objetivo de tornar a prática da ginástica olímpica segura, evitando acidentes e minimizando as chances de lesões:

  • Uso de colchões para amortecer os impactos depois do movimento no aparelho;
  • Alongamento antes e depois dos treinos;
  • Acompanhamento de um auxiliar ou do técnico para impedir que o atleta treine sozinho e faça movimentos de forma inadequada;
  • Auxílio de um nutricionista, que irá definir a alimentação adequada para os treinos e competições intensos;
  • Acompanhamento de preparadores físicos e fisioterapeutas para ajudar o atleta a executar os exercícios da melhor maneira possível;
  • Acompanhamento psicológico para ajudar na preparação da mente do ginasta.

Ginástica Olímpica feminina e masculina

A ginástica olímpica é praticada por homens e mulheres, mas há diferenças entre as práticas. Os aparelhos masculinos têm como objetivo demonstrar a força e domínio do atleta. Os homens se apresentam nos seguintes aparelhos:

  • Barra fixa: O ginasta precisa fazer movimentos acrobáticos durante a prova.
  • Barras paralelas: É preciso realizar um movimento em que as duas mãos não estejam em contato com o aparelho, entre outras regras.
  • Argolas: As argolas devem permanecer paradas e o ginasta deve ficar ao menos dois segundos parado em uma posição horizontal ou vertical em relação ao solo.
  • Solo: Dura entre 50 e 70 segundos, sem acompanhamento musical.
  • Cavalo com alças: Necessário executar movimentos contínuos de círculos e tesouras e apenas as mãos devem tocar o cavalo.
  • Salto sobre o cavalo: O ginasta precisa realizar um salto, que deve ser previamente comunicado aos árbitros para que se possa dar uma nota de partida.

Já os aparelhos utilizados pelas mulheres destacam mais a vertente artística e a agilidade. Os exercícios femininos são desenvolvidos nos seguintes aparelhos:

  • Salto sobre cavalo: Todos os saltos devem ter as duas mãos tocando o cavalo e a chegada ao trampolim precisa ser com os dois pés.
  • Barras assimétricas: A composição do exercício deve ter elementos de grupos diferentes, como piruetas e mortais.
  • Solo: Com acompanhamento musical, dura entre 1 minuto e 10 segundos e 1 minuto e 30 segundos e a ginasta não deve tocar o solo com nenhuma parte do corpo fora das linhas demarcatórias.
  • Trave de equilíbrio: Mesma duração do solo; entre as regras, estão a obrigatoriedade de elementos acrobáticos e a variação no ritmo dos movimentos, tanto para os lados, quanto para frente e para trás.

História

A ginástica surgiu na Pré-história como exercício para o corpo, mas sua sistematização ocorreu no início da Idade Contemporânea. Já a ginástica artística como atividade, teria origem na Grécia Antiga, como um exercício atlético, e também no Antigo Egito, onde eram realizadas nas ruas acrobacias de circo para entreter quem passava. Por sua prática desenvolver importantes habilidades do corpo, acabou sendo adaptada para o treinamento militar. Seu surgimento oficial foi apenas em 1811, com a fundação do primeiro clube com o objetivo de promover a ginástica e sua prática, pelo professor Friedrich Ludwig Jahn, em Berlim, na Alemanha.

A palavra ginástica tem origem no termo grego gymnádzein, cujo significado é “treinar”. O sentido mais literal da palavra é “exercitar-se nu” – modo como os gregos habitualmente praticavam exercícios. É um esporte muito tradicional e faz parte dos Jogos Olímpicos modernos desde a sua primeira edição em 1896, realizada em Atenas, na Grécia. Entretanto, as mulheres só passaram a competir nas Olimpíadas de 1928, em Amsterdã, na Holanda.

É um dos esportes mais populares da atualidade e tornou-se o destaque entre as outras modalidades de ginástica. Embora tenha surgido como um esporte masculino, ganhou fama global como uma modalidade feminina, e hoje as mulheres tem mais destaque, além de um número maior de praticantes e de atletas com reconhecimento mundial.