Método de educação piagetiano


O desenvolvimento infantil em qualquer de suas facetas sempre foi objeto de interesse e de estudos, mesmo que informais. A infância é o período mais curioso da vida de qualquer pessoa, pois é nela que se adquirem as características básicas para poder viver plenamente e em sociedade.

Método de educação piagetiano

Dentre essas características, temos a linguagem e, consequentemente, a leitura e a escrita, a capacidade de processamento de informações, a capacidade de estabelecer laços, a capacidade de ter controle motor para andar e realizar outras tarefas cotidianas, dentre inúmeras outras.

Por estes motivos, o número de pesquisadores e teorias consagradas no campo da educação e desenvolvimento infantil são inúmeras, e mesmo que hoje algumas sejam consideradas ultrapassadas, cada uma tem seu devido valor e contribuiu em maior ou menor medida para que os estudos nesta área pudessem avançar.

Neste artigo, vamos voltar nossas atenções para o método de educação piagetiano, ou seja, o construtivismo. Mas antes de mais nada, vamos fazer uma pequena incursão na biografia de seu criador.

Vida e obra

Jean William Fritz Piaget foi um suíço nascido na cidade de Neuchâtel, em 1896. Filho de um professor de línguas e literatura medieval e de uma das primeiras socialistas da Suíça, desde tenra idade já demonstrava interesse e habilidade para a ciência, tanto que seu primeiro artigo científico foi publicado quando tinha apenas 10 anos, e tratava sobre pássaros albinos.

O mais interessante na obra do autor é o início de sua carreira acadêmica, na qual ele se dedica ao estudo da biologia e da religião. Aliás, Henri Bergson, um importante filósofo francês, foi uma de suas primeiras influências e marca, em maior ou menor grau, toda sua obra.

Foi somente em 1918 que decidiu partir para o campo da psicologia, quando se mudou para Zurique e começou a estudar psicanálise. No entanto, esta primeira empreitada na mente humana não lhe agradou. Foi somente entre os anos de 1919 e 1921, em uma estadia em Paris, na qual trabalhou no Instituto Jean-Jacques Rousseau, que ele verdadeiramente tomou a psicologia como seu verdadeiro objeto de estudo, em detrimento da biologia.

A década de 30 se revelou ainda mais interessante e talvez a mais rica de toda sua carreira: nasceram seus três filhos, e, com eles, o intelectual pôde observar na prática e de muito perto os aspectos que antes só podia imaginar ou não tinha como comprovar.

Ao longo de sua carreira, atuou como professor de psicologia experimental e sociologia na Universidade de Lausenne, e também como professor de psicologia experimental na Universidade de Genebra.

Com essas informações em mãos, fica mais fácil entender sua teoria, que veremos na sequência.

Teoria

Quando falamos em Piaget, a primeira coisa que nos vem à mente é seu modelo de desenvolvimento infantil em 4 fases. Essas fases são assim divididas:

  • Estágio sensório-motor: vai desde quando a criança nasce até seus dois anos. A partir dos reflexos neurológicos básicos, o bebê consegue construir sistemas de ação, e tanto o tempo quanto o espaço são construídos pela ação direta do meio;
  • Estágio pré-operatório: se estende dos dois aos sete anos. É a fase na qual adquire a linguagem e internaliza os esquemas de ações aprendidos na fase anterior;
  • Estágio operatório concreto: dos sete aos onze anos. Aqui são desenvolvidas a noção de tempo e espaço e a abstração da realidade é possível, mesmo que a criança tenha que se apoiar nela para chegar ao abstrato;
  • Estágio operatório formal: dos doze anos em diante. Nesta fase, tudo o que foi aprendido nas fases anteriores é amplificado, e as hipóteses não necessariamente dependem da observação da realidade.

Em outras linhas, é possível deduzir que no modelo de educação de Piaget a inteligência nada mais é que uma adaptação biológica, que é construída à medida que o sujeito deixa para trás dificuldades e adquire novas competências e instrumentos, ou seja, é um processo de construção contínua visando o perfeito equilíbrio.

É por isso que se costuma dizer que Piaget é o pai do construtivismo, pois nesse método de aprendizagem o aluno é sempre estimulado a encontrar as respostas a partir de seu repertório de conhecimento e da interação com seus pares.

As principais contribuições ao método de educação em tela é que foi possível descobrir que a criança se insere gradualmente no mundo através da assimilação e acomodação; e que o que verdadeiramente importa no processo de aprendizagem é favorecer a atividade mental do aluno, e não apenas transferir conhecimento.

Apesar disso tudo, a teoria de Piaget não está livre de críticas, e a mais comum é aquela que versa sobre o papel secundário que dá ao meio social no processo de desenvolvimento da criança. Dessa maneira, apesar do desenvolvimento se dar através de estruturas internas e contextos externos, o meio social é considerado apenas como uma interferência.

Apesar de válida, esta crítica não tira o brilhantismo e importância que a teoria de Piaget tem e continua a ter em práticas pedagógicas e no estudo do desenvolvimento infantil.