Movimento Uniforme: Gráficos (v x t), (m x t) e (s x t)


Movimento Uniforme

Gráfico (v x t)

Para que possa ser elaborado um gráfico no qual seja possível definir a velocidade escalar de um objeto móvel uma determinada função de tempo, a área que existe entre o eixo do tempo em dois instantes diferentes deve ser igual, de maneira numérica, em relação ao módulo do deslocamento desse objeto móvel entre estes dois instantes de tempo.

Desta maneira, a linha reta que cortará o eixo vertical neste gráfico representará o valor da velocidade inicial deste objeto que se move entre dois instantes de tempo.

Assim, o gráfico poderá apresentar um movimento acelerado, com um módulo de velocidade crescente, ou então um movimento retardado, caracterizado por um módulo de velocidade decrescente.

Gráfico (m x t)

Para que possa ser determinado um movimento uniforme, deve acontecer uma aceleração que é constante e que deve ser diferente de zero, de forma que aconteça, assim esta aceleração.

Desta maneira, no gráfico é possível encontrar a mudança de sentido de um objeto, assim como a determinação de sua velocidade, apontando um retardamento ou uma aceleração.

Assim, acontece a medição da variação que a velocidade de um objeto em movimento uniforme sofre durante dois instantes distintos, que são identificados como tx e t2.

Gráfico (s x t)

No movimento uniforme, deve ser determinado também o gráfico de espaço em função do tempo, que pode ser visualizado por meio de uma parábola que pode se formar tanto para cima quanto para baixo. Esta parábola, que determina a função horária de um espaço é considerada uma função de segundo grau.

A formação da parábola, para cima ou para baixo, acontece de acordo com o coeficiente do termo do segundo grau, no qual pode ser positivo ou negativo, alterando assim a direção da concavidade apresentada por esta parábola que pode ser visualizada neste tipo de gráfico.