Estrutura cultural, População Economicamente Ativa e Composição Étnica Brasileira

Estrutura cultural

De acordo com dados de 2017 do IBGE, a composição étnica brasileira aponta a predominância da população parda, que também pode ser chamada de mestiça.

As pessoas que se declaram pardas correspondem a 46,7% da população, o equivalente a 95,9 milhões de brasileiros. Outros 90,9 milhões de brasileiros se declararam brancos, correspondendo a 44,2% do total. A população negra corresponde a apenas 8,2%. Esses três contingentes constituem 99,6% da população brasileira.

Miscigenação e cultura

A miscigenação presente na formação da população brasileira explica a força da diversidade cultural, assim como a distribuição dessa população pelas diversas regiões. Outro aspecto que contribui para a configuração cultural brasileira é o fator histórico.

Com relação ao aspecto histórico, os negros ampliaram sua influência desde o final do século XIX, quando da abolição da escravatura. Ainda que tais populações não tenham ascendido a condições de vida satisfatórias, a cultura dos africanos e descendentes se espalhou pela religião, pela música, pela culinária e pelo folclore nacional.

O fator histórico que contribuiu para o embranquecimento da população foi a intensificação da chegada de imigrantes europeus a partir do final do século XIX. Esses contingentes chegaram ao país em busca de oportunidades e se fixaram nas regiões Sul e Sudeste, trazendo consigo a herança cultural de seus países de origem.

Sendo assim, o Brasil, principalmente no Sudeste e Sul, tem forte influência das culturas italiana e alemã, em decorrência de terem sido esses povos os principais contingentes que chegaram ao país. No entanto, é preciso ressaltar que a maior influência é portuguesa, a começar pela língua falada em quase todo território, principal fator de unidade nacional.

População economicamente ativa

A população economicamente ativa é aquela que trabalha ou está procurando emprego. Estima-se que 46,7% da população brasileira se enquadra nesse grupo. O restante dessa população, 53,3%, é formada por crianças, idosos, donas de casa, estudantes e aquelas que não se enquadram em nenhum desses grupos, mas também não estão procurando por emprego.

O grande desafio do país é equilibrar esses dois grupos principais: economicamente ativos e inativos. O envelhecimento da população é uma realidade, que pode ser explicada pela melhora das condições de vida e dos serviços de saúde.