Resumo sobre a cidade Olinda


A bucólica e encantadora Olinda é uma cidade cheia de história, beleza e alegria em todos os cantos. Com um dos maiores e mais animados carnavais do país, suas ladeiras são ricas em história preservada e muito charme.

Resumo sobre a cidade Olinda

Do alto é possível avistar Recife, capital de Pernambuco, que fica ao lado, além de praias e as maravilhas do horizonte. O clima, os moradores, as ruas e casas são peculiares e diferentes de qualquer outra cidade no próprio Estado.

História de Olinda

Como se fosse um bairro de Recife, Olinda é um município de Pernambuco que fica ao lado da capital e distante apenas sete quilômetros, mas na sua parte alta.

A cidade de Olinda foi criada a partir da Capitania Hereditária de Pernambuco e a descoberta de suas terras por Duarte Coelho, onde antes era a aldeia de Marim. Encantado pelo local e por ser um ponto militar estratégico, rapidamente se transformou numa próspera vila. Com o crescimento do extravio do pau-brasil e da cultura da cana-de-açúcar, Olinda foi o principal centro econômico de todo o país. Chegou a disputar com a própria Corte Portuguesa quem possuía mais luxo e ostentação.

Ainda no século XVI as ruas já foram definidas e o traçado urbano formado, que perduram até os dias de hoje. As ordens carmelitas, jesuítas, franciscanos e beneditinos chegaram à vila para catequizar os índios locais e foram muito importantes para que aquele local fosse completamente tomado pelos brancos.

Mas esse crescimento começou a mudar quando Olinda foi invadida pelos holandeses. Ficaram pouco tempo até que a incendiaram, levando todos os materiais nobres de suas construções para levar a Recife, cidade que preferiram focar a invasão pela sua localização.

Só em 1654 os holandeses foram totalmente expulsos da região e a vila de Olinda começou a ser reconstruída lentamente, mas dessa vez sem o glamour de antes e passou a se tornar secundária, já que Recife conquistou sua posição anterior.

Com a vinda da Academia de Direito em 1827, Olinda deixa de ser só um local de moradia e começa a crescer comercialmente. Ela também virou foco dos veranistas, que vinham atrás das praias de Pernambuco, mas desejavam um local mais tranquilo para comprar seu imóvel.

Com a água potável vinda pela Companhia Santa Teresa e a eletricidade que trouxe os bondes urbanos, a cidade finalmente conquista seu espaço merecido de urbanização e efervescência cultural do país, logo no início do século XX.

Dentre os locais de referência da cidade estão às áreas religiosas, como a Basílica de São Bento, o Convento de São Francisco, Igreja de Nossa Senhora das Neves e a Igreja da Sé. Além do carnaval, que atrai milhares de pessoas para descer suas ladeiras no ritmo do frevo, há também a Semana Santa, com a famosa procissão dos Passos de Olinda, que percorre o Centro Histórico. O caminho visita as pequenas capelas de alvenaria da cidade para pausas reflexivas. Elas foram construídas entre 1773 e 1809 e só são abertas nesse período.

Carnaval na Cidade

O carnaval de Olinda é um dos maiores do Brasil e a base de seus foliões é o povo, que se entrega totalmente aos festejos. A diversão é gratuita e intensa, com diversos blocos de carnaval consagrados com base no ritmo oficial da cidade e do Estado, o frevo.

Realizado no Centro Histórico e na Cidade Alta, tudo é decorado anualmente para receber os foliões, homenageando personalidades que fazem parte da tradição carnavalesca da região ou do Brasil. Sempre muito colorida, cheia de sombrinhas e bandeirinhas, tudo combina com o som que emana da festa.

Outra característica marcante do carnaval de Olinda são os bonecos gigantes que desfilam no meio da multidão. Com média de dois metros de altura, eles são vistos em quase todos os pontos da cidade.

A abertura do carnaval é bastante representativa e começou com o bloco Cariri Olindense, onde o Velho Cariri montava em um jumento e descia as ladeiras da cidade, às 4h20. Após uma dissidência, pessoas do grupo criaram o Homem da Meia-Noite, onde exatamente às 00h o carnaval era oficialmente iniciado. Hoje, os dois grupos fizeram as pazes e o Homem da Meia-Noite abre o carnaval e dá as chaves para o Velho Cariri. Tudo isso feito com os bonecos gigantes.

Os principais blocos e troças de Olinda são o Galo da Madrugada, que desfila das 9h às 18h com alegorias e vários trios elétricos, Cariri Olindense, Elefante de Olinda, O Homem da Meia-Noite, Mangue Beat, Vassourinhas, Lamento Negro, Eu Acho É Pouco, Enquanto Isso na Sala da Justiça e o fechamento com o Bacalhau do Batata, criado por garçons e que sai na quarta de cinzas. A maioria se concentra na Prefeitura Municipal e todos os públicos são bem vindos nesse carnaval, que vai desde LGBT até deficientes, idosos, crianças, famílias e jovens.