A agropecuária e os problemas ambientais


Um dos principais setores da economia mundial, a agropecuária também é um dos grandes problemas para a manutenção do meio ambiente estável. Várias ações tomadas para garantir áreas cultiváveis e pastáveis podem comprometer a vida e a biodiversidade em áreas naturais, isso pode trazer consequências negativas irreversíveis para o planeta.

Hoje se estima que pouco mais de 30 por cento da superfície terrestre (somente considerando as áreas de terra firme) seja destinado à agropecuária, seja para a cultura de alimentos vegetais ou para o pastoreio de espécies animais utilizadas para o consumo humano. Toda esta área usada para a agropecuária constitui-se em um grande desafio, principalmente para as próximas gerações, que terão de encontrar soluções rápidas para evitar que problemas graves, como o aquecimento global, se tornem ainda mais severas.

 A agropecuária

Principais problemas ambientais trazidos pela agropecuária

Pode soar estranho que algo tão importante para a vida na Terra (a agropecuária, que fornece alimento para tantas pessoas) seja considerada um problema que pode trazer perigos para a população mundial. Mas o fato é que a agropecuária apresenta muitos riscos ao meio ambiente e é preciso conhecer estes riscos para que medidas sejam tomadas.

• Poluição e diminuição do volume dos lençóis freáticos: este é um grave problema e afeta diretamente o acesso da população mundial a água da principal fonte potável dentro dos continentes: os lençóis freáticos. O constante uso de substâncias químicas para matar pragas e tornar o solo mais fértil faz com que a água dos lençóis subterrâneos seja poluída. O segundo problema é a compactação do solo para torná-lo cultivável. Esta compactação impede que a água das chuvas chegue até os lençóis e todos sabem que a água das chuvas é a principal abastecedora dos lençóis subterrâneos;

• Desmatamento: com um constante aumento na demanda por alimentos, cada vez mais áreas cultiváveis ou de pastoreio são necessárias. A agropecuária precisa de áreas grandes para se desenvolver e, em muitos casos, isso envolve o desmatamento de florestas importantes para a manutenção climática do planeta, como a Amazônia. Por mais que o desmatamento esteja diminuindo em algumas regiões do Brasil, por exemplo, ele é mais que uma realidade em muitas outras regiões no mundo, como na África Subsaariana. A busca por comida afeta as florestas e o desmatamento causa outro problema…

• Aumento de espécies selvagens em extinção: com grandes desmatamentos e até queimadas (criadas de propósito para abrir mais áreas cultiváveis), muitas espécies selvagens perdem seu habitat natural e correm um sério risco de entrar em perigo de extinção. Estas espécies procuram migrar para onde ainda há mata, mas, em muitas florestas, estes locais estão cada vez mais raros, o que altera o ciclo de acasalamento e, consequentemente, a perpetuação destas espécies selvagens;

• Aumento do aquecimento global: pode parecer brincadeira, mas os animais criados em pastos, principalmente os ruminantes (bois, vacas, etc.) contribuem em grande escala para o aumento da emissão de gases causadores do efeito estufa no planeta, sobretudo o metano. Por meio do processo de digestão e, posteriormente, do depósito de dejetos nos pastos, estes animais liberam uma alta quantidade de gases como metano, gás carbônico, óxido nitroso e até amônia. Além de potencializar o efeito estufa, estes gases podem aumentar as chances de ocorrência de chuva ácida, causando ainda mais danos ao meio ambiente;

Degradação do solo: por fim, aquele que é o principal problema ambiental causado pela agropecuária. A erosão do solo, o desgaste causado pela reutilização constante e, por fim, a inutilidade do solo são os principais problemas causados pela agropecuária ao seu principal instrumento.

Crescente demanda por alimentos e as possíveis soluções

Com o aumento da população mundial e com a elevação da renda per capita média mundial, a demanda por alimentos cresce a cada dia. Em consequência, mais áreas cultiváveis são criadas e isso traz os resultados negativos acima citados. Especialistas e ambientalistas alertam os governos para que medidas sejam tomadas, mas a maioria destas medidas envolve muitos custos aos governos para criar métodos mais profissionais e tecnológicos para a agropecuária ou envolvem a alteração da legislação nacional para criar obrigações aos agricultores que, muitas vezes, são humildes e não tem condições de arcar com os custos da adequação de sua produção a um método menos prejudicial.

O futuro da agropecuária ainda é incerto, mas uma afirmação pode ser feita sem medo: a população mundial não consegue viver sem a agropecuária, por mais que ela traga alguns problemas ambientais. O consumo de carne bovina, suína e de aves, além das frutas, verduras, legumes e até do leite é algo instituído na cultura humana, faz parte da dieta básica das pessoas. E isso permanecerá para sempre. O que os líderes mundiais precisam fazer é ter a coragem necessária para trazer mudanças que beneficiem o meio ambiente sem prejudicar a agropecuária de forma abrupta, bem como a alimentação humana.