América Anglo-saxônica e Estados Unidos


América Anglo-saxônica

O continente americano é o segundo maior em extensão do mundo, com 28% das terras do planeta. É dividido geograficamente entre América do Norte, Central e Sul, mas cultural e economicamente também em América Anglo-Saxônica e América Latina. A América Latina engloba todos os países do sul e centro que foram colonizados por espanhóis, portugueses e franceses. A língua espanhola é a principal e os países mais ricos e considerados emergentes são o Brasil, Argentina e México. Juntos os três apresentam um PIB muito maior que todo o restante do grupo.

Já a América Anglo-Saxônica só engloba o Canadá e Estados Unidos, ambos com a língua oficial inglesa. Foram colonizados por ingleses e uma pequena parte por franceses, mas ambos os países recebem até hoje um grande número de migrantes em busca de sua riqueza econômica e oportunidades.

Origem da América Anglo Saxônica

O Canadá e os Estados Unidos se destacam em toda a América por serem os únicos considerados de “primeiro mundo”, sob o prisma do seu desenvolvimento industrial e econômico. Os anglo-saxões foram formados por povos imigrantes germânicos, que se estabeleceram na Grâ-Bretanha e se misturaram as tribos indígenas britânicas, chamadas de bretões.

Porém, o elemento unificado entre esses dois países não é só a língua, mas sua identidade cultural e econômica. O modelo de colonização usado pelos ingleses, assim como o seu povoamento, foram diferentes dos utilizados pela área espanhola. A principal delas é o incentivo que a metrópole oferecia a colônia, visando maior lucro a partir do seu desenvolvimento crescente.

Mesmo que parte do lucro ficasse com os colonizadores, o restante do dinheiro era investido para que a própria colônia se desenvolvesse. Com isso foram criadas estruturas básicas para as cidades como estradas, ferrovias, hospitais e escolas que permitiam uma maior produtividade e qualidade de vida.

Rapidamente eles obtiveram sua autonomia econômica e política, até alcançar sua independência e até a abolição da escravatura, sendo um marco e influenciador para o restante da América. Com liberdade para produzir, Canadá e EUA cresceram e se tornaram grandes potencias mundiais, tanto sobre sua base econômica quanto militar.

Uma economia exuberante

Os Estados Unidos encabeça a lista de potências mundiais, com o maior PIB de todos, um supremo poderio militar e o maior influenciador dentre todos os outros países. Apenas um pouco atrás, o Canadá mantém seu forte desenvolvimento industrial, maior opção de empregos qualificados, uso de tecnologia que o torna extremamente competitivo.
Enquanto os EUA focam bastante na agropecuária, o Canadá mantém forte o seu setor industrial primário, porém esbarra no clima frio de grande parte do seu território que limita produções agrícolas.

Além da estrutura industrial dos dois países está o turismo. Dotados de vegetação e clima peculiares, são procurados por turistas de todo o mundo. Especialmente os EUA, que também lidera na procura por vistos com grandes atrações como os parques da Disney e a Nova Iorque, considerada a metrópole mais importante do planeta.

Com a economia em alta, o padrão de vida dos cidadãos do Canadá e dos EUA é alto. A expectativa de vida vai dos 78 anos nos EUA e 81 no Canadá, 99% da população alfabetizada, alto investimento em saúde e mão de obra bem remunerada e capaz de custear seu próprio sustento.