América Anglo-Saxônica


Os povos Anglo-saxões

A história da América Anglo-saxônica começa muito antes de nosso tempo. Durante a estadia dos povos celtas no território onde hoje é a Grã-Bretanha, várias invasões ocorreram, fazendo com que este povo pedisse ajuda aos povos anglos, que viviam nas redondezas, e dos povos saxões, que vieram da Europa Central para ali se fixar. Estes dois povos possuem origem germânica, ou seja, da mesma região onde os povos que deram origem à língua alemã vivam. A chegada destes dois povos, no entanto, não foi de grande ajuda para os celtas, já que tanto anglos quanto saxões também se tornaram invasores, fazendo com que os celtas fossem praticamente extintos.

América Anglo-Saxônica

Os dialetos falados pelos povos anglos e saxões foram sendo modificados com o passar dos anos e com a presença de outros povos menores, como os jutos e até mesmo alguns celtas que permaneceram na região. Depois do século V depois de Cristo, a história da língua inglesa passa a ser mais notável, mas o inglês moderno como conhecemos hoje, só foi totalmente formado centenas de anos depois.

O período de colonização anglo-saxã na América do Norte

Com o passar dos anos e da formação de uma região com características muito semelhantes como é a Grã-Bretanha, o local se tornou uma potência em vários aspectos. Sua influência na Europa da Idade Moderna era tamanha que a esquadra marinha inglesa era poderosa o suficiente para atravessar o Oceano Atlântico e encontrar um novo mundo, tal como aconteceu com os portugueses ao descobrir o Brasil. Por isso, após se aventurar no mar e enfrentar condições climáticas adversas na travessia, os ingleses puderam começar a colonização de seu novo mundo.

A colonização dos Estados Unidos e do Canadá se deu de forma organizada e pacífica durante boa parte da história. O estilo de colonização, com fins apenas de povoamento (e não exploração como foi o caso do Brasil), foi crucial para o desenvolvimento da maior colônia inglesa de todos os tempos. Muitos historiadores afirmam que este estilo de colonização foi o principal motivo para que os Estados Unidos pudessem se desenvolver de tal maneira para que se tornasse a potência que é hoje.

A criação de uma identidade americana

Tanto os Estados Unidos como Canadá tiveram uma colonização massiva por parte dos povos de origem inglesa. Tanto na região de origem dos colonizadores quanto na língua que eles falavam, a influência dos povos anglo-saxões foi evidente e é por este motivo que hoje a América do Norte (com exceção do México) é conhecida como América Anglo-Saxônica.

Porém, com o passar dos anos e com o desenvolvimento nacional, os norte-americanos passaram a criar uma identidade, um sentimento de nacionalismo cada vez mais forte. Foi lutando por estes sentimentos que o povo dos Estados Unidos conquistou a independência do país em 1776. Depois disso, as duas principais características herdadas pelos norte-americanos dos povos anglo-saxões foram a língua e a força militar.

América Anglo-Saxônica, América Latina e a economia

O termo América Latina é muito conhecido por todos, já que é muito mais utilizado no mundo inteiro. Ele se refere aos países com colonização e língua predominante latina. Desde o México até o Chile, a esmagadora maioria dos países fala línguas originadas do latim, como espanhol, francês e português. Alguns países como a Jamaica falam o inglês, mas não são considerados parte da América Anglo-Saxônica.

O termo América Anglo-Saxônica não é muito conhecido, pois não é utilizado com a mesma frequência que o termo América Latina. No entanto, os dois termos são importantes para evidenciar uma diferença histórica entre os países americanos: a colonização e a economia.

Os países latinos são países com economia em desenvolvimento, subdesenvolvidos. O processo de colonização feito nestes países contribuiu para o atraso em seu desenvolvimento econômico. Já nos países anglo-saxões, a colonização não foi exploratória, o que permitiu seu desenvolvimento econômico mais organizado. É por este motivo que os Estados Unidos e o Canadá (únicos países da América Anglo-Saxônica) são os únicos países de primeiro mundo (desenvolvidos) de todo o continente americano.

As exceções da língua na América Anglo-Saxônica

A América Anglo-Saxônica é designada assim por conta da língua predominante nos países que a compõem. Porém há algumas exceções que são notáveis dentro da cultura e até da economia dos dois países. No Canadá, a região de Quebec – uma das principais do país, onde está Montreal, a segunda maior cidade do país – possui predominância da língua francesa, graças à sua colonização feita pelo país latino. Neste caso, Quebec não faz parte da América Anglo-Saxônica, já que o francês é uma língua latina. Mesmo assim, por estar localizada no Canadá, a província é incluída na América Anglo-Saxônica.
O sul dos EUA é outra região que possui predominância de povos latinos. Por conta da proximidade com o México, estados como a Flórida, o Texas e o Novo México possuem grande parte da população latina, por falarem o espanhol. Mesmo assim, estes estados são parte da América Anglo-Saxônica por fazerem parte dos Estados Unidos da América.

Economia da América Anglo-Saxônica

Por serem dois países extremamente desenvolvidos economicamente e socialmente falando, Estados Unidos e Canadá são notáveis no mundo inteiro. Os Estados Unidos são a maior potência mundial em praticamente todos os aspectos. Lá estão concentradas milhares de fábricas, indústrias e empresas de renome mundial e é por isso que a economia estadunidense é tão forte e influencia todo o resto do continente.

Já o Canadá, por ser um país muito setentrional, tem a maioria de suas terras em locais onde não é possível a vida humana ou a aglomeração urbana. Por conta disso, sua população é muito pequena se comparada ao seu tamanho territorial: mesmo sendo o segundo maior país do mundo em extensão territorial, o Canadá possui uma população de apenas 31,5 milhões de habitantes (menos que o estado de São Paulo). Mesmo assim, a economia do país é muito diversificada e forte no cenário internacional.

A América Anglo-Saxônica é uma das principais regiões do planeta em todos os sentidos. Isso só é possível graças à influência positiva de seus povos colonizadores e dos antigos povos que deram origem ao inglês como língua.