Aspectos Econômicos e Países que foram a Ásia Meridional e Ásia Oriental


Aspectos Econômicos e Países

A Ásia Meridional é a região sul do continente asiático, com uma extensão territorial de mais de 5 milhões de km², habitada por cerca de 1,65 bilhão de habitantes.

A Índia é o principal dos países dessa região, que abriga também o Afeganistão, Butão, Bangladesh, Nepal, Sri Lanka, Paquistão e Maldivas.

Apesar de serem Rússia e China os dois maiores países do continente, é na Ásia Meridional que estão concentrados 39% da população do maior continente do planeta.

Esse aspecto contribui para que aquela região seja uma daquelas com mais baixa expectativa de vida no planeta, decorrente das condições de vida muitas vezes precária. Exceto pela Índia, que adentrou o grupo das nações em desenvolvimento, os outros países são marcados pelo atraso e condições de vida medievais, com baixo índice de alfabetização, alta mortalidade infantil e renda per capta baixíssima.

A Índia, embora possua grande desequilíbrio social, se destaca pela diversidade da matriz econômica, que inclui a tradicional indústria têxtil, um forte setor siderúrgico, alimentado pelas reservas de carvão, manganês e ferro, e a condição de segundo maior produtor no setor de informática do mundo. A Índia é um dos países que mais investem em pesquisa científica e referência mundial na produção de alternativas de fontes de energia sustentável.

Ásia Oriental

O cenário pouco inspirador da Ásia Meridional contrasta com o desenvolvimento da Ásia Oriental, região que abriga duas das três maiores economias do mundo: China e Japão.

Além desses países, formam essa região: Mongólia, Taiwan, Coreia do Norte e Coreia do Sul. O Japão, extremo oriente da região, é o maior exemplo de desenvolvimento econômico, com quase 100% do PIB alavancado pelos setores de serviço e industrial, com ênfase em produtos de alto valor agregado.

Taiwan é outro país com alto índice de desenvolvimento, com economia sustentada sobre indústria de alta tecnologia e serviços, numa configuração muito parecida com o Japão.

Já a Coreia do Sul, possui uma matriz econômica mais próxima da China, mas com grande ênfase na indústria, que chega a 40% do PIB. O setor agrícola responde por apenas 2,6% do PIB, enquanto serviços entra com 57,5%.

A Coreia do Norte, comunista, ao seu tempo, embora não tenha uma matriz econômica tão sofisticada, possui atividade econômica diversificada, embora não suficiente para uma taxa de desemprego estimada em 24%.