Aspectos Físicos, Humanos, Políticos e Econômicos dos Países Andinos e Guianas na América do Sul


Para entender melhor as regiões distintas que formam a América do Sul, inicialmente, são estudados seus principais aspectos.

Aspectos físicos

A América do Sul apresenta 17 795 420 quilómetros quadrados de superfície (42% do território americano). Situa-se entre os oceanos Atlântico (a leste) e Pacífico (a oeste) e é atravessada pela Linha do Equador, ao norte, e pelo Trópico de Capricórnio, ao sul.

Aspectos Físicos, Humanos, Políticos

Relevo

Na parte leste, próximo ao Oceano Atlântico, dominam os terrenos antigos (pré-cambrianos) do Planalto das Guianas e do Planalto Brasileiro, ambos com modestas altitudes. O Pico da Neblina, com 2 993 m, na Serra do Imeri, no Planalto das Guianas, é a maior elevação desse relevo.
Na parte oeste, próximo ao Oceano Pacífico, o relevo predominante é o de montanhas altas, terciárias e vulcânicas, formando a Cordilheira dos Andes. Nessa região, encontra-se a maior elevação do continente americano: o Monte Aconcágua, com 7 000 m.

Na parte central, dominam as planícies sedimentares, terciárias e quaternárias. A mais vasta e importante é a Planície Amazônica, que se estende desde a Cordilheira dos Andes até o Oceano Atlântico. Destacam-se, ainda, a Planície do Orinoco, ao norte, e a Planície Platina, ao sul.
Nas regiões litorâneas, também existem planícies cos­teiras, que são muito estreitas ao lado do Oceano Pacífico e bem mais largas ao lado do Oceano Atlântico, especial­mente no estado do Maranhão, em terras brasileiras.

Hidrografia

Os rios mais importantes da América do Sul perten­cem à vertente do Atlântico, uma vez que os rios tribu­tários do Oceano Pacífico são de pequena extensão. O maior rio sul-americano, e também o mais extenso do mundo, com aproximadamente 7 100 quilômetros, é o Amazonas, que nasce no Peru, com o nome de Apurinac mudando depois para Ucayali, Maranhão e Solimões. A partir de Manaus, denomina-se Amazonas, desembocan­do no Oceano Atlântico, ao lado da Ilha de Marajó. Ou­tros rios importantes são Paraná, Paraguai e Uruguai, for­madores da Bacia Platina; Tocantins e São Francisco, ex­clusivamente brasileiros; Orinoco, na Venezuela; Cauca e Madalena, na Colômbia.

Quanto aos lagos sul-americanos, destacam-se os seguintes: Titicaca, o mais alto do mundo, entre Bolívia e Peru; Maracaibo, na região petrolífera da Venezuela; dos Patos, Mirim e Mangueira, os maiores do Brasil.

Paisagem climato-botânica

Por causa de sua posição geográfica (atravessada pelo Equador e pelo Trópico de Capricórnio), a maior parte da América do Sul é dominada pelos climas quentes, prin­cipalmente, dos tipos equatorial e tropical. Nos países platinos e no sul do Brasil, encontra-se o clima temperado (subtropical). Os climas frios são carac­terísticos das maiores altitudes (Andes) e elevadas latitu­des (Patagônia e Terra do Fogo). O clima desértico domi­na o sul do Peru e o norte do Chile (Atacama). O clima semi-árido predomina no Sertão nordestino do Brasil.

Os climas do tipo quente e úmido dominam a maior parte do conti­nente. Nos climogramas, podem-se constatar as grandes diferenças pluviométricas e térmicas entre os climas da América do Sul. Em função da diversidade climática, as paisagens vegetais também são variadas: floresta equatorial (Ama­zônica); floresta tropical (Mata Atlântica); floresta sub­tropical (de Araucárias, no Brasil, e de Coníferas, no Chile). As savanas são encontradas sob várias formas: cerrados, caatingas e llanos. As estepes são denomina­das pampas, no Uruguai e na Argentina; campos, no Bra­sil; e punas, nos Andes.

Aspectos humanos

Na América do Sul, vivem aproximadamente 385 milhões de habitantes. Essa população é predominantemente branca, descendente dos colonizadores por­tugueses e espanhóis e dos imigrantes italianos, alemães e eslavos. Também há um elevado número de mestiços resul­tantes da miscigenação entre povos indígenas (tupis, gua­ranis, quíchuas, inças, etc.), colonizadores europeus e negros africanos.

América Andina
É formada por Chile, Peru, Bolívia, Equador, Colôm­bia e Venezuela – países que apresentam características físicas comuns, como a presença da Cordilheira dos An­des e aspectos humanos e culturais semelhantes. A população da América Andina ultrapassa 140 mi­lhões de habitantes, a maioria de origem indígena ou mestiça. O Chile representa uma exceção, uma vez que sua população é predominantemente de origem europeia.

Entre os ameríndios, destacam-se: inças (Peru), chibchas (Equador e Colômbia) e quíchua-aimarás (Peru e Bolívia). O Império Inça, cuja capital era Cuzco, detinha, no Peru, um vasto território antes da coloniza­ção espanhola, tendo desenvolvido a agricultura irrigada nos terraços dos Andes. A economia colonial, apoiada na mineração, com largo uso de mão-de-obra escrava indígena, provocou um verdadeiro genocídio entre os inças, desestruturando, por completo, seu império.

Aspectos políticos e económicos

Os doze países independentes e um território colonial europeu na América do Sul se organizam em América Andina, América Platina, Guianas e Brasil. A economia dos países andinos apoia-se, principal­mente, na agricultura (direcionada à exportação, em for­ma de plantation, destacando-se o cultivo do café, do cacau, da cana-de-açúcar, do algodão). Na mineração, destaca-se o cobre, no Chile; a prata, no Peru; o estanho e o gás natural, na Bolívia; e o petróleo, na Venezuela.Uma economia voltada ao mercado externo cria gra­ves problemas sociais e uma injusta distribuição de ren­da na maioria desses países.