Características Políticas, Econômicas e Sociais das Guianas e Países Andinos da América do Sul


América do Sul

É comum subentender que a América do Sul é uma região com certa homogeneidade quanto aos os aspectos naturais, históricos e económicos. Entretanto, em razão das fortes discrepâncias existentes essa área pode ser subdividida em quatro grandes conjuntos:
1. Guianas: República da Guiana, Suriname e o território ultramar da Guiana Francesa;
2. Países Andinos: Venezuela, Equador, Colômbia, Peru, Bolívia e Chile;
3. Países Platines: Argentina, Paraguai e Uruguai;
4. Brasil (estudado isoladamente no contexto da geografia do Brasil).

Países Andinos da América do Sul

1. Guianas

Denominam-se guianas o conjunto de países localizados no norte da América do Sul, encravadas entre Roraima, Pará e Amapá, sendo também banhadas pelo oceano Atlântico. É formado por dois países independentes e um departamento francês. São características comuns a elas o predomínio de relevo montanhoso (planalto das Guianas), com planícies litorâneas onde se concentra a maior parcela da população; clima equatorial quente e úmido, com densas florestas como o caso da Amazônica.

As populações desses países são compostas por uma grande diversidade étnica: criollos (mistura entre negros e indianos), javaneses, chineses e brancos europeus que são minorias. Quanto a economia a mesma é essencialmente agrária e extrativa nos três países, destacando-se a cana-de-açúcar e o cacau em forma de Plantation; e a exploração da bauxita (alumínio) e o ouro.

República Cooperativa da Guiana – capital, Georgetown. Corresponde à antiga Guiana Inglesa, ocupa uma área de 215 mil km2, e possui aproximadamente 765 mil habitantes. Tornou-se independente em 1969.

Suriname – corresponde à ex-Guiana Holandesa. Tem como capital a cidade de Paramaribo, possui uma extensão territorial de aproximadamente 164 mil km2, e uma população de cerca de 420 mil habitantes. Sua independência ocorreu em 1975.

Guiana Francesa – Antiga colônia penal francesa, ainda continua na condição de território Ultra Marino (colônia). É a menos desenvolvida das três, sua capital é Caiena. Sua extensão é de cerca de 83,5 mil km2, e possui uma população de aproximadamente 157 mil habitantes. A França mantém nesse território seu centro de lançamento de foguetes, a base aeroespacial de Kourou.

Mesmo com a tendência de queda, a natalidade insiste em permanecer elevada sendo assim a população predominantemente jovem. Graves problemas sociais como subnutrição, analfabetismo e baixo padrão de assistência médica são constantes. Nas últimas décadas, mesmo sem a industrialização nem o acompanhamento do crescimento econômico, o processo de urbanização tem ocorrido de maneira rápida, o que tem contribuído para o inchaço das cidades, principalmente as metrópoles.

Quanto à economia, predominam nesses países as atividades primárias agrárias de subsistência e Plantation, além de forte presença de atividades extrativas, principalmente minerais, onde se destacam a Venezuela como um dos maiores produtores mundiais de petróleo.

2. América do Sul: Países Andinos

As nações andinas formam um conjunto de seis países, : que se estendem no sentido norte-sul, no continente sul-americano e ocupa uma área territorial de cerca de 5,5 milhões de km2. Apresenta como características comuns território inserido na Cordilheira dos Andes, população de baixo padrão de vida e com elevado crescimento vegetativo, predomínio de mestiços e indígenas, além de uma economia primária agro-extrativa.

Nos países andinos há predomínio de mestiços – eurameríndios – resultado da miscigenação ocorrida entre os ameríndios (indígena americano) e os brancos europeus, principalmente espanhóis. O negro teve pequena participação na composição étnica andina; foram introduzidos para o trabalho escravo nas lavouras da Venezuela, Colômbia e Equador. Grande parte da população desses países concentra-se nos altiplanos andinos (vales intermontanos) onde os férteis solos vulcânicos favorecem as atividades agrícolas. Na maioria dos países andinos o elevado crescimento vegetativo ainda constitui um sério problema. Embora a mortalidade apresente

Ela ocupa uma das primeiras posições mundiais em produção e possui a maior reserva do produto no hemisfério ocidental. A região petrolífera encontra-se nos arredores do lago Maracaibo no noroeste do país e na região do baixo Orinoco. A Venezuela é atualmente o único país ocidental pertencente à OPEP. Além de petróleo, a Venezuela têm grandes reservas de gás natural, além de ostentar a 2° produção latino-americana de minério de ferro (Cerro Bolívar/ Maciço das Guianas). A Bolívia é grande produtora de gás natural (exporta para o Brasil através do gasoduto Brasil-Bolívia) e possui grandes reservas de cassiterita (estanho).

Dos países andinos o Chile apresenta as melhores condições socioeconômicas da região. È o país mais industrializado e urbanizado. Ao norte, se localiza o deserto de Atacama onde se encontram grandes riquezas minerais: nitrato de sódio (salitre), ferro e cobre (1° produtor mundial), sua maior produção se dá na Província de Arica (Antofagasta). A região central, formada essencialmente pelo Grande Vale apertado entre as cordilheiras e os relevos costeiros mais baixos é a área vital do país, onde se encontram as principais cidades como Santiago e Valparaíso. Ali se encontram dois terços da população e as principais indústrias. O clima mediterrâneo, com verões secos, é favorável ao cultivo do trigo, da vinha e das frutas. A cultura da vinha alimenta a importante indústria do vinho. Por fim no sul, área de clima frio oceânico úmido, é povoado por colonos espanhóis, alemães e ingleses, que desenvolvem atividades agropecuárias e exploração de suas florestas para a produção de madeira.

O Rio da Prata, denominação dada ao escoadouro da Bacia Platina (Paraná-Paraguai-Uruguai), deu origem aos países conhecidos como platinos: Argentina, Paraguai e Uruguai. Embora haja certa semelhança física e histórica entre os países platinos, o processo colonial resultou nações com características distintas: o Paraguai apresenta população predominantemente indígena ou mestiça e os mais baixos índices de desenvolvimento económico e social, contrastando com o Uruguai e a Argentina, bastante europeizados e com maior participação de população branca de toda a América Latina, são também os mais aculturados e com melhores índices sócio-econômicos.