Fontes Alternativas de Energia e Industrialização: Revoluções Industriais, Classificação e Novas Industrias


Fontes Alternativas de Energia

A Revolução Industrial pode ser dividida em três períodos que estão localizados em um curto espaço de tempo, se levado em conta que são pouco mais de duzentos anos de história.

A Primeira Revolução Industrial acontece no final do século XVIII, quando o homem passou a criar formas de mecanizar as atividades produtivas já existentes. Nesse período, aliou-se a mão de obra humana às máquinas, intensificando o ritmo da produção e aumentando a oferta de produtos, principalmente, no começo, na indústria têxtil.

A invenção do motor a vapor e o tear programável, criado por Joseph Marie Jacquard, são marcos dessa primeira fase, que modificou a geografia populacional, fazendo com que grandes contingentes migrassem para as cidades.

A Segunda Revolução Industrial é um processo de sofisticação da indústria, capacitando o parque industrial a produzir produtos mais sofisticados, dando impulso à indústria química, à siderurgia e à metalurgia. Esse processo se inicia no começo do século XX e ganha impulso após a Segunda Guerra Mundial.

A Terceira Revolução Industrial é um processo que começa a ganhar força a partir da década de 70, quando a indústria se volta para a produção de produtos com alto valor agregado, fruto de intensa pesquisa e exigindo sofisticadas técnicas de produção.

A partir desse período, ganham impulso a informática, a biotecnologia, a microeletrônica e a robótica, entre outras novidades.

Indústria, energia e desafios

Desde o princípio, um dos pilares da atividade industrial é a energia. Sem ela, não há atividade industrial.

A utilização do carvão, do petróleo e outros combustíveis fósseis tem sido largamente disseminada. Não obstante, a sociedade humana vive um dilema no século XXI, que é a descoberta de que a emissão e gases na atmosfera pode provocar dramáticas alterações no clima do planeta, comprometendo até mesmo a existência humana.

Diante disso, se impõe à nova indústria a busca de fontes de energia que não comprometam a qualidade ambiental e isso é uma corrida contra o tempo. As novas propostas sobre a mesa do setor industrial incluem, além de energia não poluente, fontes renováveis.

Destacam-se entre as novas fontes renováveis e não poluentes a energia solar, a energia eólica, a biomassa e a energia geotérmica. A implementação desses projetos não é barata, assim como tem um custo pesado a transição, mas é um desafio que a indústria terá que enfrentar.