Ilhas Faroé


Com cerca de 18 extensões territoriais em meio ao Atlântico Norte, as Ilhas Faroé são terras pertences ao reino da Dinamarca e possuem cerca de 50 mil habitantes espalhados entre a capital, Tórshavn, e algumas outras regiões.

Ilhas Faroé

A história da Ilhas Faroé é bem antiga e tem início no século VI do calendário cristão. A descoberta do arquipélago ocorreu por volta do ano 600 por irlandeses; a primeira vez que essas terras foram citadas foi algum tempo mais tarde, em 825, por um também irlandês conhecido por Dicuil.

A linha do tempo que conta a história das Faroé é repleta de acontecimentos marcantes. Após a chegada dos irlandeses ao arquipélago, por volta de 825 as terras foram conquistadas por vikings noruegueses que as colonizaram por um longo período.

Entre os anos de 970 e 1280 as Ilhas Faroé viveram como República mesmo pagando tributos à Noruega em parte deste capítulo da história das ilhas. Em 1380, com a união monárquica de Dinamarca e Noruega, foi reintegrada com terras de posse destas potências.

Na época em que o sistema feudal estava em alta, o arquipélago foi doado como porção de terras para Von Gabel a fim de que este criasse seu próprio estado feudal. Esta doação passou a ser, na verdade, uma concessão, visto que a família Von Gabel usufruiu das terras apenas entre os anos de 1655 e 1709, quando o então rei dinamarquês tomou o território novamente.

Os anos seguintes das Ilhas Faroé não foram dos mais fáceis. Em determinada parte de sua história o arquipélago foi administrado pela Islândia, posteriormente pela Zelândia. Em 1814, entretanto, as terras foram reconhecidas através do Tratado de Kiel como pertences à Dinamarca.

Vale a pena ressaltar ainda que durante a II Guerra Mundial o arquipélago Faroé foi ocupado por britânicos.

Lutando sempre pela independência e autonomia, em 1946 a ilha conseguiu declarar a sua independência através de um referendo apertado, com 48,7% a favor e 47% contrários à ação.

Apesar de declarada, após dois anos a Dinamarca anulou tal decisão e retomou as terras, embora permitisse as Ilhas Faroé de seguirem com um governo autônomo.

Vale destacar que parte da população da região do arquipélago ainda espera alcançar a total dependência da coroa dinamarquesa.

Dados e informações gerais sobre as Ilhas Faroé

Veja a seguir as mais pertinentes informações sobre o arquipélago Faroé e conheça melhor este conjunto de ilhas:

Geografia

O arquipélago Faroé é composto por 18 ilhas geograficamente localizadas entre a Escócia e a Islândia, no Atlântico Norte. A medida das porções de todas as terras somadas conferem a essas Ilhas um tamanho de 113 km de norte a sul e 75 km de leste a oeste, com um perímetro total de 1117 km.

Repleto de acidentes geográficos e recortes profundos, o arquipélago tem como o ponto mais alto o pico de Slaettaratindur, localizado na ilha de Eysturoy e possuindo cerca de 882 metros de altitude.

Clima

A região sofre certa influência da Corrente do Golfo, que contribui para que os invernos não atinjam temperaturas tão baixas quanto o esperado pela posição geográfica das ilhas.

A temperatura média anual das Ilhas Faroé é de 6,7ºC, sendo as mínimas registradas em janeiro, que possui média de 0,3ºC e as máximas em agosto, com média de 11ºC.

O céu do arquipélago fica nublado durante boa parte do ano. Além disso, são frequentes também os nevoeiros. A precipitação (chuva) gira em torno de 1400 mm anualmente.

Demografia

A população que reside no arquipélago Faroé é, sobretudo, descendente de escoceses e escandinavos. Segundo alguns estudos do DNA desses moradores, 84% das mulheres são da primeira origem citada e 87% dos homens pertencem à segunda.

Além de toda essa influência, atualmente estima-se que as Ilhas Faroé tenham pessoas de mais de 70 nacionalidades diferentes residindo na região. Os dinamarqueses, islandeses, poloneses e groenlandeses são os mais numerosos entre eles.

Idiomas, religiões e economia faroense

Idioma

O arquipélago possui uma língua materna chamada de língua faroesa, que é falada em toda a extensão territorial das ilhas. Esse idioma germânico é um dos menores e se assemelha muito ao norueguês antigo e ao islandês, não só na escrita como também na fala. No entanto, mesmo com uma língua própria ao arquipélago, o idioma oficial das Ilhas Faroé continua sendo o dinamarquês.

Religião

O povo faroense é religioso e, em sua maioria, professa a crença cristã. A maior parte da população segue o luteranismo, mas no arquipélago também existem outras denominações protestantes e até mesmo católicas.

Na região existe a imponente Igreja das Ilhas Faroé e cerca de 87% dos habitantes a frequentam.

Economia

A maior riqueza econômica do arquipélago está no mar. Mais de 95% das exportações que são feitas tem relação direta com os peixes, sendo os principais o bacalhau, peixe vermelho, arenque, salmão, arinca e alguns outros.

Recentemente conclui-se que é possível ter reservas de petróleo no arquipélago e são feitos estudos e testes que possam confirmar tal teoria.