Resumo Eco 92


A preocupação com sustentabilidade e meio ambiente não é de hoje, apesar de atualmente possuir mais força. Mas desde os anos 90 os problemas ambientais foram aumentando tornando necessárias medidas de mudanças no comportamento da população como um todo para senão reverter à situação, ao menos amenizá-la. O primeiro grande evento para discutir essas questões foi a Conferência de Estocolmo feita em 1972 na Suécia.

Resumo Eco 92

O objetivo dessa e de outras conferências é debater e expor soluções para preservação do ambiente. Outro grande evento realizado foi a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente em Desenvolvimento, ocorrido de 3 a 14 de junho de 1992, no Rio de Janeiro, Brasil. O evento, chamado de ECO 92 ou Rio-92 intentou fazer um balanço dos problemas existentes e processos já feitos em comparação com a conferência feita em Estocolmo. Outra ação foi documentar dados importantes que continuam sendo referência nas discussões ambientais.

O evento repercutiu em todo o mundo e contou com representantes de 176 países, 1400 ONGs e mais de 30 mil participantes. Duas convenções foram aprovadas, uma relacionada à biodiversidade e outra em relação às mudanças climáticas. A Agenda 21 também foi de grande importância, tratando-se de um plano de ação com 2500 recomendações de como atingir desenvolvimento sustentável. A diferenciação de países desenvolvidos para os em desenvolvimento é a área sustentável e de conservação ambiental as quais são podem ser atingidas sem erradicação da pobreza e redução das desigualdades sociais.

Por isso a Agenda 21 foi criada durante o evento. Ela visa um acordo entre 179 países para elaborar estratégias de desenvolvimento sustentável, dividida em quatro seções: Meio de implementação, conservação e gestão de recursos, área social e econômica e fortalecimentos dos grupos sociais, defende a universalização do saneamento básico e ensino, conservação da biodiversidade, mais participação de ONGs e sindicatos dos trabalhadores, planejamento e uso sustentado de recursos do solo, rios, lagos e oceanos.

Confira outros itens explorados na Agenda 21:

  • Consumo;
  • Saúde;
  • Pobreza;
  • Recursos naturais;
  • Conscientização;
  • Biodiversidade;
  • Desflorestamento;
  • Educação;
  • Meio ambiente;
  • Desenvolvimento sustentável.

Além disso, outros documentos foram firmados:

  • A Carta da Terra;
  • Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e desenvolvimento;
  • Declaração de Princípios sobre Florestas;
  • Três convenções: Diversidade biológica, das Nações Unidas de Combate à Desertificação e Convenção-Quatro das Nações Unidas sobre a Mudança do clima.

Na Carta da Terra convencionou-se focar em questões ambientais, melhores condições de vida e princípios como: respeito e cuidado da comunidade da vida, integridade ecológica, democracia, paz e não a violência além de justiça econômica e social.

Com a melhoria da Convenção sobre Mudanças Climáticas houve o Protocolo de Kyoto em 1997 que deseja a redução de gases que agravam o efeito estufa.

Outros temas discutidos durante a Eco-92

• Transporte alternativo: a redução da emissão de gases também se dá pelo uso de transportes alternativos, ou seja, o objetivo foi estimular o uso de bicicletas e pensar em transportes movidos à eletricidade e combustíveis renováveis.

• Clima: o aquecimento global já era preocupação nos anos 70 e se intensificou na Eco-92. Qualidade do ar também foi alvo de debate e o protocolo de Kyoto trouxe diversas resoluções a fim de reduzir a emissão de gases que causam o efeito estufa.

• Água: não é novidade que a água é um dos recursos mais próximos da escassez e isso também foi discutido na conferência. Nos últimos 50 anos foi um dos recursos mais mal tratados pelo desperdício e poluição.

• Reciclagem: o desperdício é um dos grandes males atualmente, por isso a conferência também tocou nessa questão, do gasto indevido de água, alimento e energia gerando descompasso entre crescimento populacional e quantidade de recursos. Com a reciclagem é possível reaproveitar esses itens com qualidade.

• Turismo ecológico: tratou do potencial econômico ligado ao ecoturismo, atraindo viajantes para reservas naturais e manifestações da cultura. O segmento cresceu em mais de 30% ao ano.

• Redução de chuva ácida: países desenvolvidos limitaram a emissão de dióxido de enxofre, causador da chuva ácida.

A principal conclusão da Rio-92 foi que é preciso reunir itens econômicos, ambientais e sociais em prol do bem comum. Caso isso não seja feito rapidamente a sustentabilidade e o desenvolvimento não ocorrem.

Rio+10

Dez anos após a Eco-92 a ONU fez a Cúpula Mundial sobre desenvolvimento Sustentável na África do Sul. A intenção foi rever as metas da Agenda 21 ampliando as áreas que precisam de mais atenção, mas o evento acabou se voltando a temas de cunho social. Em resumo a Rio+10 tratou de:

  • Problemas sociais;
  • Apresentação de propostas concretas, mas que não saíram do papel;
  • Diversidade de posturas e opiniões;
  • Iniciativa de energia global;
  • Formação de grupos para defesa de interesses;
  • Mais participação da sociedade civil nas ações.

Como é possível perceber alguns itens não foram efetivamente cumpridos ao longo do tempo, outros ainda caminham lentamente para real soluções.