Resumo A estrutura da bolha de sabão


O livro A Estrutura da Bolha de Sabão, publicado em 1978, foi produzido por Lygia Fagundes Telles. O livro trata sobre rejeição, identidades do ser humano, universo feminino com percepções e anseios das mulheres. Trata-se de uma coletânea de contos para que a mulher repense o seu lugar e busque a emancipação. Como pano de fundo a obra também trata das figuras masculinas, principalmente o que concerne os aspectos de suas fragilidades e carências. As diversas narrativas em sequência possuem lógica entre si. Isso acontece principalmente no último conto que dá nome ao livro. É como se todos os personagens, juntos, representassem desejos e inquietudes que juntas estourariam a bolha que representa candura, sensibilidade, amor, ódio, sutileza e crueldade.

Resumo A estrutura da bolha de sabão

A autora mistura invenção e memória em contos, em sua maioria, em primeira pessoa traçando até mesmo uma autobiografia. Ela trabalha bem com enigmas, incógnitas, charadas e afins. É possível, também, notar forte influência de Hilda Hilst e Clarice Lispector. Foca no urbano, psicológico e no intimista.

Confira um pouco sobre cada um dos contos da obra A Estrutura da Bolha de Sabão:

A medalha

O conto é narrado em terceira pessoa e fala sobre uma jovem em época de revolução sexual nos anos 60/70. Trata também do racismo, pois existe um negro com quem a protagonista deve se casar e outro rapaz branco com quem ela acabou de fazer sexo. A história apresenta uma discussão entre mãe e filha após a segunda chegar de uma festa pela manhã. A mãe, buscando manter o tradicionalismo da família, dá uma medalha para filha que está faz três gerações. Ela amarra a medalha no pescoço do gato e o empurra para o quarto da mãe.

A testemunha

Dois amigos passeiam pela cidade, Rolf e Miguel. O segundo tem 50 anos e quer fazer o amigo se lembrar do que aconteceu. É como se fossem duas metades de apenas um homem em busca de si. Eles caminham por uma rua escura. Diz-se que Rolf é como uma ponte que liga Miguel ao passado, que não se lembra do que aconteceu.

O espartilho

A narrativa é em primeira pessoa, por Ana Luíza, órfã de um clã conservador. A mãe era judia, e seu pai e avó querem sempre expor essa herança genética, que consideram como maldita. Ana Luzia é sempre reprimida e acha o jogo social burguês muito hipócrita. Ela conhece um homem chamado Rodrigo e acaba fazendo sexo com ele. O espartilho trata de uma metáfora em relação à contenção emocional que as pessoas eram obrigadas a manter nos anos 40.

Fuga

O texto tem foco narrativo em terceira pessoa. Ragael é inseguro e mora com os pais, dependendo em todos os sentidos dele. Ele sofre de uma doença que não tem coragem nem de nomear. O conto encerra quando o rapaz retorna para casa e encontra o seu próprio caixão. E ele estava dentro dele.

A confissão de Leontina

A narradora desse conto é uma mulher pobre que reclama que não deve confiar em nenhuma pessoa da cidade grande. Não sabe ler nem escrever direito e não pode contar com ninguém.

Missa do Galo

Apresenta uma mulher da segunda metade do século XIX chamada Conceição. Ela é casada e tem um marido adúltero. Ela dialoga com um hóspede adolescente chamado Nogueira.

Gaby

O apelido andrógino da protagonista é o mesmo de arcanjo Gabriel. Ele está em um bar com o garçom. Ele é pintor de natureza morta e foi protegido pela mãe durante a infância. Tem uma amante mais velha que sente repulsa, mas acaba ganhando dinheiro com ela. Na verdade ele ama mesmo uma jovem que não gosta nada dele. Vive entediado e é um indefinido a contemplar a vida. Seu pai está doente e vive em uma pensão, pobre e sozinho.

Uma “mosca” fica em torno de Gaby todo o conto. Ele relembra da velha amante e também que contou ao pai que a mãe tinha um amante. Gaby também foi reprovado na escola. Ele recebe a carta de despedida de Mariana. Gaby se sente infeliz em vazio com todas essas situações que o cercam.

A estrutura da bolha de sabão

Na obra de título do livro Lygia cria um narrador em primeira pessoa, uma mulher que reencontra o ex-marido com a atual esposa em um bar. Ela tem ciúmes no momento e o conto expõe a aprendizagem de sentimentos. Ela relembra a infância, relembra a sua vida. Se sente superior em relação à outra mulher. O final da obra é vago e brusco e relata como um amor interrompido.

Os oito contos, portanto, se interligam e formam uma unidade expondo anseios humanos, infelicidades, desejos e medos das pessoas focando sempre na figura feminina.