Resumo sobre o Dia Mundial Sem Carro


O Dia Mundial Sem Carro (ou World Carfree Day, em inglês), acontece anualmente no dia 22 de setembro. O movimento se propõe a incentivar a conscientização sobre o uso excessivo de automóveis no planeta todo e seus efeitos negativos para o meio ambiente, dado o consumo de combustíveis fósseis e a poluição decorrente deste mau uso. Surgido na Europa, o Dia Mundial Sem Carro é lembrado todos os anos em algumas das maiores cidades do mundo.

Resumo sobre o Dia Mundial Sem Carro

Nos locais onde é promovido, ele busca incentivar os habitantes das grandes cidades a deixarem seus carros em casa pelo menos durante o dia 22 de setembro. Neste dia, o movimento tenta mostrar às pessoas que é possível não depender do automóvel, utilizando meios alternativos de transportes como bicicletas, patins, skates e transporte público. Ele mostra também os malefícios do consumo de combustíveis tóxicos e que é possível conhecer ainda mais a cidade onde se vive quando não se está atrás do para-brisas.

História do Dia Mundial Sem Carro

O Dia Mundial Sem Carro começou no ano de 1997, na França. A consolidação deste evento na Europa acabou se dando posteriormente em 2000, quando foi realizado em outros países do continente. A ação ganhou tanta popularidade frente à população europeia que, dois anos depois, alguns países do velho continente passaram a promover ações de conscientização ao longo de toda a semana do dia 22 (de 16 a 22 de setembro), fazendo deste período a “Semana Europeia de Mobilidade”.

As ações na Europa passaram a adquirir características cada vez mais abrangentes da luta pela mobilidade e pelo uso de meios de transporte alternativos, e ainda na década de 2000 a Semana Europeia de Mobilidade passou a incorporar uma série de manifestações e atos pela defesa do meio-ambiente, não necessariamente relacionadas ao transporte.

Os eventos de conscientização do Dia Mundial Sem Carro acontecem em território brasileiro desde o ano de 2004, quando foram realizados na cidade de São Paulo os primeiros atos em protesto ao uso excessivo de automóveis. No ano seguinte, os ativistas realizaram um manifestado em bicicletas pelas ruas da cidade para chamar a atenção dos motoristas e mostrar o movimento à população.

Em 2005, o movimento ganhou força e os manifestantes fizeram uma visita à Câmara Municipal de São Paulo, onde puderam expor a pauta aos parlamentares da capital paulista. A ação promovida por ciclistas e outros ativistas ganhou o apoio da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente em 2006.

A partir de 2007, o movimento pelo Dia Mundial Sem Carro na capital paulista também ganhou o apoio do Movimento Nossa São Paulo, o que trouxe maior visibilidade às manifestações. Desde 2010, o Dia Mundial Sem Carro também tem sido celebrado em outras capitais e cidades grandes e médias do Brasil. Em alguns estados, os movimentos sociais chegam a programar atividades para todo o mês de setembro, em uma militância que até os dias de hoje vem ganhando mais força e alcançando mais seguidores.

Os males dos automóveis

O Dia Mundial Sem Carro visa conscientizar as pessoas sobre os malefícios do mau uso dos automóveis. Este não está caracterizado apenas sob o ponto de vista ambiental da combustão de petróleo e outros combustíveis que geram monóxido de carbono, mas também sobre a própria construção histórica que se constituiu a partir da cultura automobilística.

As grandes cidades foram planejadas ao longo do último século quase exclusivamente para os automóveis, e não para as pessoas. Isso é perceptível quando, por exemplo, se diminui a largura da calçada para que se possa adicionar mais uma faixa de tráfego à avenida congestionada que passa por aquele ponto.

As lideranças nacionais e até mesmo as prefeituras das grandes cidades alimentaram um ciclo vicioso: incentivaram as montadoras de automóveis e a construção de infraestrutura para receber transporte individual de condutores sob a justificativa de que esta era a solução do problema, quando, segundo o movimento, é justamente a causa.

Neste sentido, os ativistas envolvidos no Dia Mundial Sem Carro acreditam que as cidades e governos devem investir de forma mais significativa em transporte de massa, como ônibus, trens, metrôs e outros, para que as pessoas possam usufruir do espaço urbano gastando menos dinheiro e poluindo menos o planeta.

Para os ativistas, o problema não é o carro em si. O movimento acredita que os condutores utilizam mal seus automóveis, quando realizam viagens extremamente pequenas ou quando usam o carro diariamente sozinhos, enquanto poderiam andar de ônibus sem qualquer prejuízo, e poluindo menos, pois o consumo de combustível estaria sendo dividido por pelo menos mais trinta pessoas.

Este é um resumo sobre o Dia Mundial Sem Carro, movimento de cunho ambiental que existe desde 1997 na França, e que ganha adeptos anualmente em todos os continentes.