Satélite natural


Satélites naturais são corpos celestes que orbitam os planetas. No Sistema Solar, já foram confirmadas 146 luas, como são chamados os satélites naturais, mas este número pode aumentar, com a identificação de outros 27 corpos celestes que orbitam planetas anões e asteroides. Só não foram encontrados satélites naturais nas órbitas dos planetas Mercúrio e Vênus.

Satélite natural

A Terra possui um satélite natural: a Lua, localizada a 384.405 km do planeta. Não há oxigênio, nitrogênio ou água em sua superfície. Nós podemos observar as várias fases da Lua a olho nu, e elas são conhecidas como Lua Crescente, Lua Nova, Lua Cheia e Lua Minguante. Essa mudança está relacionada à posição da Lua em relação ao Sol.

A temperatura pode chegar a 127º C na fase lunar iluminada pelo Sol. No lado não iluminado, a temperatura atinge – 170º C. As crateras existentes na superfície da Lua foram abertas devido à colisão de meteoritos. A ação das marés na Terra é influenciada pelos movimentos de rotação e translação da Lua.

Na órbita de Marte há duas luas. Saturno, Júpiter, Netuno e Urano possuem, juntos, 143 satélites naturais. Cientistas explicam que os campos gravitacionais desses planetas são muito intensos, e por isso têm alto potencial para atrair esses corpos celestes.

Saturno é o planeta com a maior quantidade de satélites naturais. Ao todo, são 53 luas conhecidas, e outras nove ainda não oficialmente confirmadas. Titã é o maior satélite da órbita de Saturno.

Os cientistas já confirmaram a existência de 50 luas na órbita de Júpiter, mas ainda falta identificar outros 17 satélites naturais. Os satélites naturais de Júpiter movimentam-se opostos ao planeta.

Outro planeta com grande quantidade de luas é Urano. Em sua órbita, há 27 satélites naturais confirmados. Miranda é a maior lua de Urano. Netuno possui 13 satélites naturais, sendo que Triton é o maior deles, com tamanho similar ao de Plutão, um planeta-anão.

Quais os 10 maiores satélites naturais do Sistema Solar?

Ganimedes é o maior satélite do Sistema Solar, e também o maior do planeta Júpiter. Descoberto pelo astrônomo italiano Galileu Galilei, em 1610, Ganimedes possui 5.262 km de diâmetro.

A segunda maior lua do Sistema Solar é Titã, descoberto por Christiann Huygens, astrônomo holandês. Este satélite é o maior da órbita do planeta Saturno, com 5.150 km de diâmetro.

Calisto, satélite da órbita do planeta Júpiter, está em terceiro lugar no ranking das 10 maiores luas do Sistema Solar, com 4.820 km de diâmetro. Calisto também foi descoberto por Galileu Galilei, em 1610.

Na órbita de Júpiter, que possui 50 satélites naturais confirmados, está Io, a quarta maior lua do Sistema Solar, descoberta em 1610 por Galileu Galilei. Com 3.642 km de diâmetro, Io destaca-se pela intensa atividade vulcânica.

A Lua é o único satélite do planeta Terra, e o quinto colocado no ranking. A Lua tem 3.475 km de diâmetro, o que corresponde a 25% do diâmetro da Terra. Considerando esta medida, a Lua é o maior satélite do Sistema Solar em comparação com o tamanho do planeta no qual orbita.

A sexta colocada é a lua Europa, na órbita de Júpiter, outra descoberta de Galileu Galilei. Este satélite tem 3.121 km de diâmetro. Cientistas acreditam que embaixo da camada de gelo pode existir um imenso oceano.

O principal satélite do planeta Netuno é Tristão, que possui cerca de 2.706 km de diâmetro. Foi descoberto por William Lassell, astrônomo inglês. É um dos corpos celestes mais frios do Sistema Solar, uma vez que está muito distante do Sol. As temperaturas chegam a – 235º C.

Na órbita de Urano está o oitavo maior satélite do Sistema Solar, Titânia, descoberto por William Herschel em 1787. O astrônomo inglês também descobriu o próprio planeta Urano.

A segunda maior lua de Saturno, Reia, com 1.528 km de diâmetro, também é a nona maior do Sistema Solar. Este satélite foi descoberto por Giovanni Cassini, astrônomo italiano, em 1672.

A última colocada do ranking das 10 maiores luas do Sistema Solar é Oberon, com 1523 km de diâmetro. Oberon orbita o planeta Urano e foi descoberto em 1787 por Willian Herschel.

O que são satélites artificiais?

Como o próprio nome diz, satélite artificial é aquele construído pelo homem. Na órbita da Terra há mais de 13 mil satélites artificiais, porém menos de 4 mil estão em funcionamento atualmente. Há satélites de comunicação, navegação, meteorológico, militar, exploração do universo e observação da Terra.

A construção de satélites artificiais começou na década de 50, quando os Estados Unidos e a ex-União Soviética iniciaram seus programas espaciais. A competição entre os dois países foi denominada como Corrida Espacial. O primeiro satélite artificial lançado da Terra pelos soviéticos foi o Sputnik I.

A finalidade principal do satélite de comunicação é distribuir os sinais de televisão, internet e telefonia. Localizam-se a 36 mil quilômetros de altitude e acompanham a rotação da Terra (órbita geoestacionária), apontando sempre para o mesmo local.

Ao redor do planeta Terra existe uma constelação de satélites que forma o Sistema de Posicionamento Global (GPS). São 24 satélites situados a 20 mil quilômetros de altitude. O controle é dos Estados Unidos, mas quem possui um aparelho receptor consegue obter sua localização no planeta. O sistema de navegação da Rússia é o Glonass. O da União Europeia foi batizado como nome do astrônomo italiano, Galileu.

O satélite artificial também é utilizado para monitorar as condições climáticas da Terra. O satélite meteorológico fornece informações sobre o tempo, tempestades de raios, áreas cobertas por neve, queimadas, poluição, formação de nuvens, correntes oceânicas, entre outros dados sobre o clima e o tempo na Terra. O Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais utiliza os satélites SCDs e CBERS.

O satélite militar fotografa, com precisão, qualquer território. São equipamentos com câmeras avançadas, que conseguem captar imagens de alvos camuflados até na escuridão.

O Hubble é um telescópio acoplado ao satélite, que possibilita a exploração de imagens do universo. Em operação desde 1990, o Hubble captou milhares de imagens do universo. O Instituto Nacional de Pesquisa está desenvolvendo o satélite Lattes com o propósito de auxiliar as pesquisas de astronomia e clima espacial.

Outros satélites foram construídos com a finalidade de monitorar o território. Brasil e China desenvolveram o CBERS, um satélite localizado a 780 km de altitude, orbitando no sentido do Polo Norte ao Polo Sul.

Um satélite muito conhecido pelos internautas é o Google Earth, que gera mapas de alta resolução e possibilita a localização precisa de vários endereços em qualquer parte do planeta. Os satélites Amazônia e MAPSAR estão sendo desenvolvidos pelo INPE. O MAPSAR poderá, com um radar, captar imagens do território nacional no período noturno, ou mesmo quando houver densas nuvens.

Gostou desse artigo? Leia outros textos em nosso site!