Sultanato de Mascate


Mascate é o nome de uma cidade localizada no chamado Golfo de Omã, que liga o Golfo Pérsico ao Mar Arábico. A região é uma das mais antigas do oriente médio e possui uma extrema importância para a história daquele povo. A seguir, conheça tudo a respeito desta importante cidade, quais as suas principais características e o que ela representa para o país nos dias de hoje.

Sultanato de Mascate

O Sultanato de Mascate

Antes de explicarmos a respeito da cidade e o que é o Sultanato de Mascate, é preciso saber o que significa ser um sultanato. Um sultanato é uma região (cidade, país ou estado) governada por um sultão.

A princípio, ser um sultão, significava ser alguém muito poderoso, forte e que exercia grande influência. Como tempo, este termo de origem islâmica foi mudando e passou a designar governadores, mas que não chegam a se califas, ou seja, ainda possuem alguma outra pessoa superior.

Por outro lado, o termo sultão também pode ser compreendido como um líder máximo, rei ou monarca, mesmo que esta não seja a tradução real da palavra. Em uma tradução mais literal, um sultão é aquele que detém o poder, e foi utilizado previamente para se referir à militares, principalmente turcos.

Apesar de parecer algo antigo e que está presente somente no imaginário de quem mora no ocidente, este tipo de governo ainda está presente em partes do oriente. Ainda hoje existem regiões lideradas por sultões e os sultanatos contemporâneos que podemos encontrar são:

  • Omã
  • Brunei
  • Malásia
  • Yogyarkata, na Indonésia

A cidade de Mascate, portanto, faz parte do sultanato de Omã, um sultanato ainda existente. Na verdade, ela é a capital do país e por isso, a mais importante de toda a área. A região que também pode ser chamada de Omão trata-se de um país árabe, localizado na Península Arábica e que faz fronteira com os Emirados Árabes.

Mascate atualmente, conta com cerca de 830 mil habitantes e é dividida em três urbes, que foram se desenvolvendo durante séculos. Os urbes de Mascate são:

  • Ruwi – o centro diplomático e comercial de Mascate
  • Matrah – que é uma ilha de pescadores onde está o famoso “Mastrah Souq” um labirinto
  • Mascate – a cidade murada ou amuralhada, onde e encontram os majestosos palácios reais.

Os primeiros indícios de moradores no Sultanato de Mascates são muito antigos e remontam os anos 6.000 a.C. Pesquisadores encontraram sepulturas e cerâmica em diferentes regiões da cidade.

A história de Mascate

Por ser uma cidade muito antiga e localizada de forma estratégica, o Sultanato de Mascate sempre chamou a atenção de diversas populações, inclusive dos europeus. No ano de 1507, houve uma sangrenta batalha na cidade, depois da chegada de Portugal, com o comando de Afonso de Albuquerque.

Os portugueses tomaram a cidade e ficaram sob seu poder por mais de um século e massacraram a população e saquearam muitas de suas riquezas. Durante este período os Turcos tentaram muitas vezes tomar o controle da cidade e bombardearam fortemente em 1946. Apesar de terem conseguido o poder da cidade muitas vezes, durante as tentativas, os portugueses sempre acabavam conseguindo manter o controle.

Somente em 1650, uma tropa pequena de Imã atacou o porto de Mascate e conseguiu a rendição de Portugal. A partir desta data, 23 de janeiro de 1950, o Sultanato de Mascate se tornou independente.

A vitória em Mascate foi somente uma conseguida pelas tropas de Imã, que aos poucos conseguiram expulsar os portugueses de toda a região, até partes de Moçambique.

Mais tarde, a cidade de Mascate ainda passou por guerras civis e tropas persas também agiram para desestabilizar o poder dos sultões por ali. Somente em meados do século XIX, foram reestabelecidas as forças militares e navais de Mascate e se constituiu o Sultanato de Zanzibar e Omã.

Na década de 1950, diversas tribos da região entraram em conflito e o então Sultão Said Bin Taimur solicitou apoio à Grã-Bretanha e em julho de 1970, seu próprio filho, Qaboos bin Said Al Said, deu um golpe de estado e tomou o poder.

Ele tinha o apoio total da Grã-Bretanha e com sua ajuda conseguiu controlar as tribos e tomar o poder de todo o país. Qaboos bin Said Al Said também foi o responsável por nomear o país de Sultanato de Omã.

Atualmente, o Sultanato de Mascate é uma força econômica. Com uma excelente infraestrutura de escritórios e empresas de todos os cantos do país, a cidade tem sua maior renda vinda da exportação de produtos, principalmente petróleo, tâmaras e madrepérolas.
Petroleiras internacionais possuem sedes em Mascate e toda a exportação é feita de forma marítima, através do porto da cidade, mas o turismo também traz diversos benefícios, atraindo pessoas de todos os cantos do mundo.

O último evento que assolou Mascate foi à destruição pelo Ciclone Gonu, em 2007, que destruiu escritórios, casas e diversas construções contemporâneas.