Vitória política de JK


Deixando para trás a administração de Getúlio Vargas, as eleições de 1955 foram sem dúvida alguma de muita importância para a Brasil e também para todos os brasileiros.

vitoria-politica-de-jk

Representando o partido PSD – Partido Social Democrático – e aliado ao PTB – Partido Trabalhista Brasileiro – que elegeu como vice-presidente do país João Goulart, a vitória política de JK foi realmente marcante por isso vale a pena ser relembrada e estudada.

Juscelino Kubitschek nasceu no ano de 1902 na cidade de Diamantina e morreu em 1976 em Resende. Sua formação era em medicina e JK também foi oficial da Polícia Militar do estado mineiro em que atuava, também na área da saúde.

O então integrante do corpo militar de Minas Gerais trabalhou arduamente na Revolução Constitucionalista. Aproximando-se de alguns políticos nesta época, alguns anos mais tarde, em 1933, Juscelino tornou-se chefe de gabinete de Benedito Valadares.

Em 1934 foi eleito como deputado federal, entretanto JK não chegou a atuar no cargo uma vez que o seu mandato foi cassado com a justificativa do golpe do Estado Novo. Poucos anos mais tarde, em 1940, Juscelino foi nomeado prefeito da cidade de Belo Horizonte governando até o ano de 1945. Cinco anos mais tarde, JK venceu as prévias do partido tornando-se o candidato ideal para concorrer à presidência do Brasil.

Entenda neste artigo em maiores detalhes quais foram os principais pontos da campanha e da administração presidenciável de Juscelino Kubitschek.

A vitória política de JK nas urnas

Juscelino Kubitschek venceu as eleições presidenciáveis de 1955 com 36% dos votos computados naquele plebiscito. Em segundo lugar, com 30% dos votos, ficou Juarez Távora.

O vice-presidente que assumiu o posto junto com JK, visto que nesta época as eleições eram separadas e não em chapas como atualmente, foi seu companheiro de campanha João Goulart.

Juntos, JK e Goulart passaram a contrariar veementemente as vontades do lado oposto conhecido como UDN – União Democrática Nacional. Estes, por sua vez, passaram a organizar-se de modo a tentar dar novos golpes. Este mesmo grupo buscava pela deposição completa do presidente, mesmo sem sucesso.

A iniciativa começou já no ano seguinte a vitória política de JK em Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro. No geral, este movimento aglomerava militares que estavam no extremo oposto a Juscelino.

Um ano antes de o mandato de JK acabar houve outro levante militar contra o presidente. Dessa vez o movimento militar aconteceu no estado de Goiás, na cidade de Aragarças.

O resultado deste movimento culminou em uma forte repressão por parte de todas as forças legalistas, aqueles que eram pró-JK. Todos os envolvidos receberam, entretanto, anistia.

Juscelino Kubitschek: 50 anos em 5!

Um dos principais lemas da campanha presidenciável de Juscelino Kubitschek era o Plano de Metas que, em resumo, pregava a expansão da nação brasileira e o extremo progresso, fazendo com que os 5 anos de JK à frente do país parecessem, em questão de progressos, como 50.

Verdade é também que JK realmente movimentou mais tarde toda a nação ao abrir as portas brasileiras para indústrias. Diferentes empresas internacionais vieram abrir suas filiais neste território, melhorando assim as taxas de emprego.

A abertura do capital econômico brasileiro acelerou muito a industrialização do país. Infelizmente, apesar de em um primeiro momento tal ação ter parecido bastante benéfica ao cenário interno brasileiro, posteriormente observou-se uma verdadeira avalanche de problemas ligados a tal abertura.

O Plano de Metas realmente atraiu capital estrangeiro, entretanto este por sua vez era completamente transferido junto aos lucros para os países de origem, fazendo com que o Brasil acumulasse mais dívidas e sobrecargas do que vantagens quando feitas avaliações a longo prazo. Não demorou muito para que o povo começasse a sofrer novamente com a inflação, por exemplo.

Outra grande promessa de campanha feita por Juscelino Kubitschek foi referente à transferência da capital brasileira para dentro do país, para a cidade-satélite. Saindo do Rio de Janeiro, Brasília foi construída em detalhes para atender a todo o legislativo e executivo nacional e JK pode, desta forma, cumprir com a sua promessa de interiorizar a cidade que, evidentemente, é a mais importante da nação.

Brasília não foi a única grande empreitada no que diz respeito às obras ocorridas no Brasil durante o mandato de JK. A gestão de Juscelino também programou outras importantes obras que deram espaço à engenharia civil no país, aquecendo a economia que gira em torno dela.

Um balanço sucinto da administração de Juscelino Kubitschek pode destacar facilmente o quanto foram benéficas e trágicas as decisões tomadas por este que foi um dos grandes nomes notáveis da presidência brasileira.

Juscelino Kubitschek não chegou a encerrar o seu mandato devido a problemas de saúde. Na ocasião quem assumiu o posto foi o seu vice-presidente, João Goulart. Este, por sua vez tornou-se mais tarde o Presidente da República em mandato próprio também.