Crise no Socialismo: Queda da URSS; Neoliberalismo e Desenvolvimento Tecnológico


Crise no Socialismo
Com a queda da União Soviética, em 1991, ou, simplesmente, URSS, o socialismo entrou — de vez — em decadência. Os países socialistas que até então viviam isolados, como a China, por exemplo, adotaram um sistema político baseado no capitalismo, ampliando assim o seu mercado — no entanto, aderiram ao que chamam, no caso da China, de socialismo chinês, para se referir as adaptações feitas entre socialismo e capitalismo. Hoje, somente alguns países ainda se mantêm socialistas, como a Cuba e a Coreia do Norte. Aquele, localizado na América Central, este, na Ásia.

A crise do socialismo fortaleceu não só as grandes potências econômicas, como os Estados Unidos, que defende ferozmente o capitalismo internacional, mas também influenciou o pensamento científico, fazendo emergir teorias acerca do neoliberalismo.

Podemo entender por neoliberalismo, segundo os economistas franceses, a corrente de pensamento que defende a absoluta liberdade de mercado e uma restrição à intervenção estatal sobre a economia somente nos casos em que esta é, de fato, necessária. Em outras palavras, defende um Estado mínimo.

Além de fortalecer o pensamento neoliberal, como consequência direta do insucesso do socialismo, tal crise também influenciou, em razão do mesmo motivo, o desenvolvimento tecnológico.

Com a liberdade de mercado e o fortalecimento das transações internacionais, as organizações, tanto públicas como privadas, puderam ter acesso a bens, ideias e estudos para prover melhor seu acervo e, assim, executar grandes empreendimentos, como foi o caso da invenção do computador pessoal, antes mesmo, vale dizer, da queda do socialismo. O computador pessoal permitiu que as pessoas pudessem não só interagir entre si, mas também ter acesso amplo ao conhecimento — fonte de energia para o desenvolvimento tecnológico, segundo pesquisadores da Universidade de São Paulo.

Ainda que pareçam fenômenos isolados, a crise do socialismo fortaleceu a ampliação do capitalismo, bem como o desenvolvimento tecnológico, justamente em razão do progresso daquele.