Demografia – Imigração Japonesa: Dekasseguis


Dekassegui (ou decasségui) é um verbete utilizado no Japão para se referir aos trabalhadores migrantes. A palavra normalmente é usada para designar estrangeiros que vivem no país, tendo eles ascendência japonesa ou não. Mas japoneses que saem de províncias distantes, como Hokkaido, para trabalhar em grandes centros, como Tóquio e Osaka, também são chamados dessa maneira.

Demografia - Imigração Japonesa: Dekasseguis

O termo Decasségui é formado pela junção de dois verbetes da língua japonesa. “Deru”, que significa sair, e “Kasegu”, que significa para trabalhar. A tradução literal é, então, “trabalhando longe de casa”.

Dessa forma, os nipo-brasileiros que vão para o Japão também são denominados dessa forma. É o caso também dos nipo-peruanos, que junto com os nipo-brasileiros, pertencem às maiores colônias de imigrantes de japoneses na América. O Brasil, a propósito, é o país com a maior colônia de imigrantes japoneses e descendentes de imigrantes do mundo.

Imigração japonesa: Dekasseguis – O início

A imigração japonesa se deu no início do século XX. Milhares de nipônicos foram para diversos países em busca de uma melhor qualidade de vida. No Brasil os primeiros imigrantes chegaram em 1908 e o fluxo imigratório durou até 1960. Vinte anos depois, uma imigração contrária acontecia.

O fluxo de brasileiros que foram ao Japão cresceu imensamente durante a década de 80. Devido às crises econômicas e políticas passadas pelo Brasil naqueles anos, os nipo-brasileiros tentaram melhores oportunidades de trabalho no Japão. Enquanto os brasileiros enfrentavam a “década perdida”, os japoneses gozavam de um crescimento econômico. O Brasil tinha altos níveis de desemprego e uma inflação exorbitante. Já o Japão tinha uma indústria e um comércio em expansão e precisava de muita mão de obra. Por causa disso, o país criou leis que facilitavam a entrada de imigrantes, principalmente descendentes de japoneses.

Nos anos 90, o governo nipônico editou a Lei de Controle de Imigração, que permitia a descendentes japoneses e cônjuges – os nikkeis – até a terceira geração (os chamados sanseis) poderem voltar para o Japão. Os imigrantes poderiam exercer qualquer atividade, tendo a possibilidade de viver no país por longo tempo. Criou-se também um visto especial para descendentes de japoneses da quarta geração, os chamados yonseis. Esses só poderiam receber o visto se entrassem no país, acompanhados dos pais sanseis.

Normalmente os imigrantes brasileiros eram descendentes de japoneses ou cônjuges de japoneses descendentes. Assim, surgiu então a comunidade de decasséguis brasileiros no Japão. Hoje, ela é a terceira maior comunidade de brasileiros vivendo fora do Brasil. Os decasséguis brasileiros só perdem em número para os brasileiros vivendo nos Estados Unidos e no Paraguai.

Imigração japonesa: Dekasseguis – O retorno

Segundo o Ministério da Justiça do Japão, há atualmente no país cerca de 178 mil brasileiros em condições legais. Isso faz do contingente brasileiro o quarto maior residente no Japão. Mas o número de nipo-brasileiros no país já foi muito maior. Devido às crises econômicas, sobretudo a crise japonesa de 2008, muitos acabaram retornando para o Brasil.

Segundo o Ministério da Justiça, em 2005 havia no Japão 302 mil brasileiros. O número caiu para 254 mil em 2011. Em 2009, devido à crise financeira gravíssima, o governo japonês criou um novo programa para atrair latino-americanos descendentes. O imigrante passou a ter um direito de subsídio de 3 mil dólares, uma passagem aérea e um adicional de 2 mil dólares para cada dependente. Mas aqueles que entrassem no programa ficariam impedidos de voltar ao Japão para buscar um emprego no futuro.

Em 2011, três anos após a crise, já se podia observar uma grande queda no número de brasileiros imigrantes. O país já tinha uma economia quase estabilizada. No entanto, um terremoto seguido de um tsunami atingiu o país naquele ano. Os desastres destruíram partes litorâneas de cidades no nordeste do Japão. Isso também colaborou para o retorno dos brasileiros. A situação econômica que não estava boa foi agravada pelas tragédias da natureza. O país havia sentido a queda de retirada do visto após o tsunami de 2011.

Em contraponto a isso, o Brasil vivia uma época de expansão econômica. Havia uma alta demanda por commodities, principalmente da China. Como o Brasil comercializava esses produtos e contava com uma moeda estável, o país experimentou um crescimento sem precedentes.

Nessa época, a vida no Brasil atraiu pessoas no mundo todo. Isso influenciou milhares de decasséguis a retornar ao país. Esse fluxo de retorno durou até 2013, quando a quantidade de brasileiros que deixavam o Japão foi diminuindo. Isso porque o Brasil novamente enfrentou crises financeiras devido à má gestão de contas públicas. Essa crise foi se agravando ao longo do tempo e em 2016 o número de brasileiros querendo mudar ou retornar para o Japão já é novamente expressiva.

Totalmente recuperado economicamente, o Japão demonstrou ter estabilidade e segurança para os próximos anos. O número de imigrantes atualmente, de 178 mil brasileiros segundo o Itamaraty, é real porque o Japão faz o cadastro de todos os imigrantes que chegam ao país.