Os Hebreus e os Fenícios


Os Hebreus e os Fenícios

A maior parte da história da formação do povo hebreu está na Bíblia, logo no Antigo Testamento que também é a base do Torá. Também conhecidos como judeus e israelitas, as histórias descritas são as contadas entre gerações pelo próprio povo, que ajuda a perpetuar sua memória.

Já os fenícios vieram da Fenícia, onde hoje é o Líbano, e possuem origem semita. O povo fenício ainda representa a maior parte dos libaneses e sírios, cujas principais habilidades estão na pesca e no comércio, já que estão localizados num ponto bastante estratégico de negociação.

O povo hebreu

O patriarca dos hebreus é Abraão, considerado o seu fundador e, que segundo consta nos escritos, recebeu missões de Deus para liderar e guiar seu povo. Uma delas era levá-los à Canaã, onde hoje fica o Estado de Israel e Palestina.

Abraão era filho de Terah e descendente de Adão e Noé, sendo considerado o fundador da nação hebraica, o “povo escolhido por Deus”. A partir dele se desenvolveram as religiões monoteístas mais conhecidas do mundo: o judaísmo, islamismo e cristianismo, cuja descendência abraâmica é a mesma.

A prova definitiva da reverência a Deus de Abraão ocorreu quando ele foi posto a prova e ordenado a acabar com a vida de seu único filho Isaac. Ao levá-lo para o topo de uma montanha e quase matá-lo, um anjo o impediu. Deus poupou seu filho e ainda lhe ofertou com uma linhagem capaz de povoar a terra prometida.

Os hebreus viveram no Egito entre 300 a 400 anos e lá foram escravizados, sendo salvos por Moisés e levados até a Terra Prometida. Esse evento de grande importância para o judaísmo é chamado de Êxodo. Já a expulsão do povo judeu da mesma terra, a Palestina, no ano de 70 d.C. é chamada de diáspora. Até que em 1948 o povo que ficou sem pátrias retornou para sua Canaã, expulsando os palestinos e provocando uma guerra que permanece até os dias de hoje.

O povo fenício

A Fenícia estava onde hoje é o Líbano e nela habitava um povo semita que se estabeleceu entre as montanhas e o Mar Mediterrâneo. Com a falta de terras mais amplas e férteis para a agricultura, o povo desenvolveu a pesca e o comércio, inclusive sendo reconhecido como grandes navegadores.

A região também possuía cedros em abundância, um tipo de árvore propícia para a construção de navios, e o local era escoadouro de produtos vindos da Ásia rumo ao Mediterrâneo. A Fenícia era um conjunto de cidades independentes, com governos distintos e mantinham uma constante rivalidade sobre a liderança comercial.

Formada basicamente por navegadores e artesãos, além da elite mercantil que dominada os centros comerciais, os fenícios foram responsáveis pela origem do alfabeto. Com a criação de 22 sinais que se tornaram letras, é a base ancestral do alfabeto árabe, hebraico, latino e grego. Também criaram o vidro transparente, técnicas de tingir tecidos e eram excelentes comerciantes.

O fim dos fenícios ocorreu com a invasão do Rei da Pérsia e que o fizeram fugir para Cartago. Mas após vários conflitos, Roma também invadiu e destruiu Cartago, acabando com uma civilização.