Influências, Características e Convenções do Neoclassicismo ou Arcadismo


Influências, Características e Convenções do Neoclassicismo ou Arcadismo

O arcadismo, ou neoclassicismo, é uma escola literária, surgida na Europa, por volta do século XVIII mais precisamente entre 1756 e 1825,
O nome “arcadismo” se dá pela referência à Arcádia, uma região, campestre e pastoril da Grécia antiga, de onde se inspiraram os escritores do movimento.

Contexto
O século XVIII foi marcado grandes transformações sociai, entre elas a Revolução Industrial. Foi um momento de forte êxodo rural e o crescimento urbano.
Também foi o momento em que se ascendeu o Iluminismo, trazendo a ideia de sociedade igualitária e esclarecida.
Esses fatores influenciaram o surgimento do Arcadismo, ou Neoclassicismo, trazendo as ideias de racionalidade, e os valores clássicos.

Características:

Racionalismo

Com influências de filósofos como Voltaire, Rousseau e René Descartes, os artistas da época se baseavam na razão. Isso significa que as emoções retratadas nas obras literárias se tratavam de emoções genéricas, filtradas e criadas pela razão. E não a emoção criativa, vinda da inspiração.

Natureza exaltada

Com o crescimento dos centros urbanos, os poetas se dedicaram à exaltação da natureza. Nessa época, é comum a presença de eu-lírico ligado à natureza, como pastores e homens do campo.
Também é forte a presença do bucolismo, em que o homem evoca nostalgicamente o campo, em detrimento da vida na cidade.
A natureza é um lugar ameno, em que se adquiri o equilíbrio e a verdadeira paz.

Retomada de valores clássicos

A arte antiga influenciou, e muito, os arcadistas. Esses poetas consideravam que os gregos e romanos detinham da arte mais pura, perfeita e bela. Portanto, eles retomavam as formas antigas, suas temáticas e regras de composição. Também é comum surgirem seres mitológicos nas obras, como ninfas no campo.

Homem primitivo
Rousseau, com seus preceitos de que o homem nasce bom e a sociedade o corrompe – o homem selvagem -, influenciou a arte da época. Para os arcadistas, o homem era destacado como um ser primitivo, ligado à natureza, sem se corromper pelos padrões da sociedade.