Literatura Atual: Chico Buarque de Holanda, João Gilberto e Lya Luft


Chico Buarque de Holanda (carioca, 1944)

•        Estorvo (1991) – romance
•        Benjamim (1995) – romance
•        Budapeste (2003) – romance

Literatura Atual

Estorvo conta a história de uma sociedade delinquente, corrompida, em que personagens buscam uma saída ou tentam encontrar a si mesmos.

João Gilberto (1946)

Principais novelas:

•        Bandoleiros (1965)
•        Rastros de Verão (1986)
•        Hotel Atlântico (1989)
•        Harmada (1993)
•        Lord (2004)

Antônio Torres (baiano, 1940)

Romances

•        Um Cão Uivando para a Lua (1972)
•        Os Homens de Pés Redondos (1973)
•        Essa terra (1976)
•        Carta ao Bispo (1979)

Lya Luft (gaúcha,  1938)

Romances

• As Parceiras (1980)
•  A Asa Esquerda do Anjo (1981)
•  Reunião de Família (1982)
•  Quarto Fechado (1984)
•  Perdas e Ganhos (2003)
•  Pensar É Transgredir (2004)

Márcio Souza (amazonense, 1946)

Romance

•     Galvez, o Imperador do Acre (1975)

Trata-se de urna narrativa fragmentada, paródica (à Oswald de Andrade), humorística e debochada das aventuras de um pícaro espanhol chamado Galvez. Esse aventureiro acaba servindo às autoridades brasileiras na conquista do Acre. No poder, por querer ajudar índios e seringueiros, desentende-se com os proprietários dos seringais, tornando-se um estorvo para as autoridades que se serviram dele.

Nélida Pinem (carioca,  1937)

O primeiro romance dela – Guia-Mapa de Gabriel Arcanjo (1961) – trata do tema do pecado, do perdão e da relação dos mortais com Deus pelo diálogo entre a protagonista e seu anjo da guarda. No romance Vozes do Deserto (Prêmio Jabuti e Príncipe das Astúrias em 2005), Nélida revela a mulher oculta que há por trás da mais famosa narradora da literatura oriental – Sherazade – e faz uma homenagem à imaginação humana e à arte de fabular.

Raduan Nassar (paulista, 1935)

Novelas

•         Lavoura Arcaica (1975)
•         Um Copo de Cólera (1978)

Paulista de origem libanesa, Raduan recebeu muitos elogios da crítica e teve muitos leitores por causa de alguma singularidade na sua prosa (imita os versículos da Bíblia, frase de ritmo poético, boas metáforas). Seus temas preferidos são a desintegração da família patriarcal, o imigrante libanês quebrando tradições, o sentimento de culpa.

Sérgio Santana (carioca -1941)

•  As Confissões de Ralfo (1975) – romance
•  A Senhorita Simpson (1989) – contos
•  Voo da Madrugada (2003) – contos

Histórias urbanas numa prosa experimental porque transgressora.

Há, ainda, nomes importantes na narrativa contemporânea brasileira: Ana Miranda vem produzindo uma série de romances históricos bem elaborados – Boca do Inferno (1989); Última Quimera (1995), Clarice (1996), Dias e Dias (2002); Bernardo Carvalho faz narrativas de alta sofisticação – Onze (1995), Os Bêbados e os Sonâmbulos (1996) e Teatro (1998); Milton Hatoum, em Relato de um Certo Oriente (1989) e Dois Irmãos (2000), mostra o conflito íntimo e a crise familiar (de libaneses) em Manaus; Roberto Gomes, ficcionista catarinense, autor, entre outras obras, de uma delicada evocação ficcional dos anseios existenciais e políticos da juventude urbana dos anos de 1960, Antes que o Teto Desabe (1981), e de um violento romance sobre o conflito agrário no sudoeste do Paraná, Os dias do Demônio (1995).