Literatura Colonial: Primórdios, Influências e Características


Desde sempre, os movimentos literários foram de extrema importância para a realização de uma descrição da sociedade em suas respectivas épocas, sempre com foco na linguagem, cultura e ideias do momento. Assim, estudar os diferentes movimentos e períodos literários também nos ajuda a entender melhor cada uma das eras da nossa sociedade.

No que diz respeito à literatura brasileira e sua história, é possível compreender dois grandes grupos: a literatura Colonial e a Nacional. Neste artigo, vamos dar enfoque para a literatura que se instaurou durante o período Colonial, lembrando que ela durou desde os anos 1500, descobrimento do Brasil, até 1836.

literatura-colonial-primordios-influencias-e-caracteristicas

Literatura Colonial e seus primórdios

A Literatura Colonial surgiu logo após o descobrimento do Brasil, motivo pelo qual foi marcada pela cultura portuguesa. Sendo assim, a literatura colonial é baseada em três diferentes movimentos: a literatura informativa, o arcadismo e o barroco. Em seguida, após esse ano e até os dias de hoje, esse modelo de literatura foi substituído pela literatura Nacional, após um Brasil já independente e marcado pela própria autonomia cultural, principalmente com as expressões modernistas e pós-modernas, romantismo, simbolismo, realismo, naturalismo e outros.

A Literatura Colonial começou, então, lá na carta de Caminha. Desde então, muitos foram os autores, tanto brasileiros, quanto internacionais, que tiveram suas obras marcadas por esse período da literatura.

Assim, como o nome desse movimento já nos deixa uma dica, a literatura teve como a sua base o próprio início do processo de colonização por Portugal, já que o princípio desse período colonial de produção literária começa na transposição da própria cultura de caráter ocidental para a nossa América.

Entre as escolas literárias que participaram desse período da literatura colonial, devemos começar destacando a escola literária ‘Quinhentismo’, no século XVI, com a própria carta de Caminha. Mas foi com o passar de cada um dos séculos que o estilo Barroco, o arcadismo e até uma parte do romantismo, logo no final da era colonial, por meio da obra Suspiros Poéticos.

Influência da Era Colonial

A história da época é totalmente relacionada com o Pau Brasil, a Cana-de-Açúcar e até mesmo o início da época da mineração brasileira. Com a extração do nosso Pau Brasil, que foi a primeira atividade de caráter econômica do Brasil como colônia, nos dá destaque para um homem vazio. A falta de povoamento, o próprio desconhecimento da cultura e a falta de uma característica única dessa sociedade faz com que a literatura só seja escrita por fora, sobre a descoberta desse novo povo.

Os principais assuntos em que o Brasil, como colônia foi citado, na época, era em relação à flora e à fauna, às tradições e costumes indígenas e às grandes potências econômicas e financeiras desse povo. Essa é marcada, então, como a literatura de informação, do século XVI, que marcou o início da Literatura Colonial envolvendo o nosso país. Esses modelos de produções literárias eram amplamente divulgadas na imprensa e pouco chegava até os nossos índios.

No entanto, foi com o surgimento da nossa segunda maior atividade econômica que as coisas começam a mudar, com a cana-de-açúcar. A atividade agrícola em questão começa a caracterizar mais os homens brasileiros, afinal, agora o Brasil começa a ter condições para o próprio povoamento. A expressão literária da era Colonial, nesse momento, já é o estilo Barroco, que surgiu graças às duas figuras: Padre Antônio Vieira e Gregório de Matos.

Porém, foi assim que a economia de caráter açucareira caiu que a mineração começou a tomar conta do país, já no século XVIII, se tornando a nossa terceira atividade econômica durante a época colonial. Agora, muitos são os nomes que começam a se destacar na produção literária em meio a essa realidade da atividade mineradora. O arcadismo é o movimento artístico e literário que caracteriza esse momento da história brasileira, dando maior destaque para a própria essência do povo brasileiro.

Entre os nomes que surgiram nessa época da literatura colonial, que certamente foi a era mais marcante, devemos destaca Basílio da Gama, Tomas Antonio Gonzaga, Cláudio Manuel da Costa e outros, que não só viveram a época da mineração, como também apostaram na produção de caráter literária.

Sendo assim, devemos sempre nos lembrar de que a literatura viva em um país, durante uma determinada época é, quase sempre, um reflexo do momento tanto histórico, quanto cultural, do que esse país está vivendo naquele exato momento. A literatura colonial nada mais é do que a prova disso, afinal, todas as escolas literárias e as produções, de uma forma geral, são voltadas para o Brasil daquela época: o Brasil colônia, que começa com as suas primeiras atividades econômicas para a criação de uma cultura única, para a possibilidade de povoamento e de formação de sociedade. A relação da literatura colonial com o que foi vivido naquela época é realmente muito intensa.