Literatura no Brasil: A Era Colonial e o Barroco


Literatura no Brasil

A ocupação portuguesa do território brasileiro teve início em 1500, com a chegada de Pedro Álvares Cabral e sua frota. Não se pode falar num período anterior a esse de literatura brasileira, uma vez que as populações nativas não dominavam a linguagem escrita.

Os primeiros anos da colonização portuguesa foram marcados pela ausência quase absoluta de criação literária na colônia, até mesmo pelo modo de ocupação exploratório, com pouco assentamento de populações do território brasileiro.

Dentro dessa temática o movimento barroco adquire grande importância. Pode ser considerado o ponto de partida para a produção literária brasileira, muito embora sejam poucos os autores reconhecidos desse período. A literatura brasileira só ganharia grande impulso a partir do século XIX, já no Primeiro Império.

Autores brasileiros do Barroco

Gregório de Matos (1633-1696) é, sem dúvida alguma, o primeiro grande escritor brasileiro. Acabou conhecido como “Boca do Inferno”, por causa de seu estilo irônico, quase sarcástico, e vigoroso, do qual se utilizou para produzir poemas críticos e densos.

O barroco brasileiro nutriu-se das características presentes no barroco europeu, empregando dramaticidade, rebuscamento, cultismo, uso abundante de figuras de linguagem e integração entre o profano e o religioso para conferir a expressividade e densidade que caracterizam as obras do período. Em Gregório de Matos, esteve presente, também, o erotismo.

Além de Gregório de Matos, destacam-se Bento Teixeira (“Presopopeia”), Manuel Botelho de Oliveira (“Música do Parnaso”), Frei Manuel da Santa Maria de Itaparica (“Eustáquios” e “Descrição da Ilha de Itaparica”) e Frei Vicente de Salvador (“História do Brasil” e “História da Custódia do Brasil”).

A “Presopopeia”, de Bento Teixeira, é considerado o marco zero do movimento barroco no Brasil, que teve no mestre Aleijadinho, escultor e arquiteto, o seu maior representante. Ainda que não se possa negar o gigantismo de Aleijadinho, é impossível deixar de reconhecer Gregório de Matos como um dos maiores escritores da história do Brasil.

O movimento foi a tônica cultural na colônia durante todo o século XVII e parte do século XVIII. Ainda no período colonial, o barroco foi substituído pelo arcadismo, que propunha uma estética diferente e oposta aquele movimento. Em 1822, o Brasil separou-se da Coroa Portuguesa. Naquele momento, já dava seus primeiros passos o movimento romântico.