Resumo do Romantismo


Romantismo

O Romantismo é muito mais do que apenas um gênero literário, sendo algo que está diretamente ligado a diversos sentimentos, ações e emoções, levando as pessoas a agirem de uma determinada maneira em qualquer atividade realizada.

Assim, é preciso que se enxergue a complexidade e o alto alcance do romantismo para que se possa entender sua importância e como seu surgimento alterou não apenas o mundo literário, mas a sociedade como um todo.

As diferentes fases do Romantismo

– 1ª geração

A primeira geração do Romantismo é a de seu início, o que ocorreu de forma bastante lenta, uma vez que os primeiros romances datam do fim do século XVIII e início do século XIX, quando podem ser vistos seus primórdios na Alemanha, Inglaterra e especialmente na França, onde o romantismo surge com a intenção de modificar a literatura existente até então.

Uma característica bastante forte da primeira geração do Romantismo é o nacionalismo, que pode ser visto de forma bastante intensa no Brasil, onde o romantismo foi o responsável pela criação de uma literatura brasileira e responsável pela criação de uma forma literária repleta de brasilidade.

– 2ª geração

Na segunda geração, o Romantismo passa por um período bastante obscuro, pois o amor fica em segundo plano quando o egocentrismo passa a ser o principal fator do Romantismo.

Em muitos países, esta fase do Romantismo levou pessoas a cometerem suicídio e enfrentarem problemas psicológicos, uma vez que o Romantismo passou a expor de forma muito forte a solidão, tristeza e até mesmo uma certa atração pela figura da morte.

– 3ª geração

Na terceira geração, o Romantismo passa a ter uma importância ainda maior para a sociedade de uma forma geral, quando surgem as prosas e poesias de caráter político e social, fazendo com que as pessoas passem a enxergar assim a importância do Romantismo além da literatura.