Resumo do Trovadorismo


Trovadorismo

O trovadorismo é o nome mais comum para a primeira época da literatura portuguesa, que tem início no ano de 1189, quando ainda imperava na Europa o feudalismo, que se manteve dominante neste território até o século XV.

Um dos mais importantes documentos da história da literatura portuguesa é a “Cantiga da Ribeirinha”, conhecida também como “Cantiga de Guarvaia”, considerada por muitos o relato mais antigo da literatura portuguesa, sendo originária da época do trovadorismo.

O surgimento do trovadorismo contou com uma grande inspiração da região da Provença, localizada no sul da França, sendo assim um tipo de literatura provençal, com muitos resquícios da cultura daquela região francesa.

As características do trovadorismo

O trovadorismo possui características bem específicas, pois é marcado com a composição de letras, músicas e o jogral feitos pelo trovador. Estas letras são então cantadas de maneira lírica com o acompanhamento de algum tipo de instrumento musical, sendo geralmente flautas, harpas ou alaúdes.

Assim, estas letras acompanhadas da música e do jogral são entoadas na forma de cantigas líricas, nas quais há um claro predomínio do sentimento amoroso dos trovadores.

Estas cantigas podem ser divididas entre dois grupos distintos: a cantiga de amor e a cantiga de amigo.

Diferenças da cantiga de amor e da cantiga de amigo

As cantigas de amor e as cantigas de amigo do trovadorismo possuem características bastante distintas entre si, fazendo com que possam ser diferenciadas.

Nas cantigas de amor, é comum que o trovador se dirija à sua amada com um respeito e adoração dignos de vassalagem, chamando-a, em geral, de mia dona. Assim, a cantiga de amor do trovadorismo é altamente respeitosa.

Já as cantigas de amigo são muito mais espontâneas em comparação com as de amor. Nestas cantigas, o trovador busca contar os sentimentos do eu lírico feminino, o qual vê seu amado partir para disputas como cavaleiro, geralmente.