Resumo O Conto da Ilha Desconhecida


José Saramago foi um renomado escritor português que, inclusive, foi reconhecido e agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998. Possui muitos títulos traduzidos para diversos idiomas, inclusive para o nosso. Hoje, você vai conhecer melhor uma das obras desse grande autor: o Conto da Ilha Desconhecida, publicado no ano de 1997.

Resumo O Conto da Ilha Desconhecida

Conto da Ilha Desconhecida: resumo

Antes de explorar o enredo, é importante frisar que esse título se trata de um conto, ou seja, diferente de um romance, ele foi escrito em poucas páginas. É um texto narrativo, com personagens, espaço e tempo reduzidos.

Esse é um conto que gira em torno de um homem que vai até o rei para pedir que lhe dê um barco. Ao chegar ao castelo, percebe que existem duas portas: uma delas é a porta dos obséquios, em que o monarca passa a maior parte do tempo recebendo presentes dos seus súditos. A outra é a porta das petições, onde o rei praticamente nem aparece e existe um processo muito burocrático para que se possa pedir algo ali. Mas, naquele dia, o homem estava determinado e exigiu que o rei o recebesse para que ele fizesse o seu pedido.

Ao ser questionado sobre seus motivos para desejar ter um barco, ele responde que deseja encontrar a ilha desconhecida. No entanto, o homem sabia que, de acordo com os geógrafos, não havia mais ilhas desconhecidas, pois todas elas já teriam sido encontradas por alguém. Mesmo assim, ele acredita que possa descobrir uma nova.

Tudo parece estar contra aquele homem sonhador: o rei não parecia disposto a lhe dar um barco, os marinheiros não aceitariam participar dessa empreitada, o mar andava agitado e os geógrafos do rei tentavam, de qualquer maneira, convencê-lo de que a aventura seria em vão, pois ele não conseguiria encontrar uma ilha que ainda não tivesse sido descoberta.

Mesmo diante de todas essas adversidades, o homem não se abateu e nem desistiu do seu propósito. E assim, com muita insistência, conseguiu convencer o monarca a lhe dar o barco. E não foi só isso: também conquistou a simpatia de uma das criadas que fazia a limpeza do castelo, de modo que ela abandonou o seu trabalho para seguir aquele homem.

No entanto, nem tudo ia tão bem: além da mulher da limpeza, o homem não encontrou mais ninguém que aceitasse acompanhá-lo durante a viagem. Não havia no reino um marujo sequer que desejasse participar dessa busca por uma ilha desconhecida.

A história transcorre, portanto, ao redor dessa busca do protagonista pela ilha desconhecida sobre a qual ele não sabia absolutamente nada (afinal, se soubesse algo, a ilha já seria conhecida!). Talvez para a surpresa da maior parte dos leitores, ele consegue encontrar a ilha, no lugar onde menos esperava.

Características e análise da obra

Entre os principais aspectos que podem ser observados nesse conto de Saramago, é possível destacar:

  • Os personagens não possuem nome, apenas profissão ou alguma característica que os identificam. Nesse quesito, o conto dialoga com os textos fabulares;
  • Não há localização geográfica, ou seja, o narrador não diz onde fica o reino de onde parte o enredo;
  • Há poucos pontos finais, uma vez que Saramago costuma utilizar vírgulas com mais frequência, já é uma marca do autor;
  • Sentenças curtas;
  • Diálogos intercalados com descrições de personagens e cenas, deixando a leitura dinâmica.

A história do homem querendo encontrar uma ilha desconhecida é, na verdade, uma metáfora que indica a busca do ser humano por aquilo que ele não conhece, a busca pelo novo, mesmo quando ela é marcada por incertezas.

O fato de ele conseguir encontrar a ilha que tanto desejava, mesmo sem ter o apoio e incentivo de outras pessoas, é uma demonstração clara de que cada um tem dentro de si aquilo que precisa para atingir as suas metas e objetivos.

Por outro lado, a personagem feminina, representada pela mulher que limpava o castelo, tem uma grande importância: ela traz a reflexão sobre a impossibilidade de mergulhar em uma aventura como essa de forma completamente isolada, por outro lado, a necessidade que isso trás de se dispor a conviver com alguém.

O Conto da Ilha Desconhecida mostra o quanto pode ser cômodo permanecer na própria zona de conforto, sem enfrentar o desconhecido. No entanto, a evolução humana está justamente em buscar o novo, em desafiar a si mesmo e procurar superar constantemente os próprios medos e limites. Também não deixa de ser uma lição de otimismo, uma vez que o homem encontra a ilha apesar de todas as adversidades que existiam até então.

Por fim, utilizando tempos medievais como referência, Saramago ainda traz uma crítica social. O fato de não revelar os nomes dos personagens e identificar cada um por meio da sua função, reforça essa ideia. O rei, por exemplo, estava sempre disposto a receber os presentes, mas não a atender as necessidades do seu povo.