Resumo Teoria do Medalhão


Vale tudo para ter o respeito da sociedade? Vale tudo para se dar bem na vida? No conto “Teoria do Medalhão” publicado no ano de 1881, os personagens de Machado de Assis, pai e filho realizam uma análise de discurso para conquistar fama na sociedade.

Resumo Teoria do Medalhão

A trama

O conto é um diálogo entre um pai e um filho no dia do aniversário de 21 anos do rapaz. Durante a conversa familiar o filho aprende o que um homem deve fazer para ganhar “prestígio” na sociedade.

Na figura do pai, Machado de Assis, utiliza a ironia para mostrar as características da sociedade da época, uma sociedade baseada nas aparências. O conto mostra que parecer é mais valoroso do que ser e analisa o comportamento insignificante através do qual é possível ascender na sociedade sem grandes esforços.

Por volta das onze da noite, ao terminar o jantar de comemoração do aniversário do filho Janjão, o pretensioso pai – que aspira realizar os próprios anseios na figura do filho – inicia uma conversa no intuito de demonstrar ao rapaz, o quanto este pode se servir de sua juventude para alcançar grandes possibilidades profissionais.

O pai então sugere ao filho que este se torne um medalhão, portanto, alguém que conseguiu conquistar riqueza e fama. É importante ressaltar que a figura do medalhão é utilizada de maneira análoga. Para o pai do jovem rapaz, aqueles que se tornam medalhão são diferentes dos demais.

O autor passa então, a elencar algumas características que Janjão deveria adotar, se quisesse tornar-se um medalhão:

  • Em um primeiro momento o rapaz deveria deixar de lado seus costumes e hábitos, anulando por completo opiniões e gostos próprios;
  • O jovem deveria permanecer neutro perante as mais diversas situações;
  • Conhecer pouco e ter um vocabulário limitado;
  • Preferir um humor direto e simples ao contrário da ironia, que segundo o pai, requeria raciocínio e muita imaginação;
  • Valorizar aquilo que é antigo e tradicional, refutando o que existe nos dias de hoje.

O pai segue com suas orientações dizendo ao filho, que qualquer ação, por menor que seja – mesmo um jantar oferecido aos amigos – deve ser difundida à sociedade, com o único objetivo de elevar o status.

Análise: a crítica social

A estrutura direta, em formato de diálogo, criada por Machado de Assis confere ao conto uma interessante ambivalência, revelando no decorrer da trama uma linha tênue entre ironia e realidade.

O que mais impressiona em “Teoria do Medalhão” é a crítica social realizada pelo autor, tão severa e verdadeira, que ainda vale para os dias de hoje. A obra pode ser considerada um retrato da sociedade – não apenas a brasileira do Século XIX – mas a capitalista contemporânea.

Trata-se de uma profunda discussão sobre a ascensão social e das estratégias envolvidas nesse processo. É um conto paradoxal porque dá a formação de um “oficius” para não trabalhar, existe a disciplina com o trabalho de linguagem, há um trabalho de posição pública e também de publicidade, mas simplesmente para não trabalhar. Tudo não passa de pura aparência.

No conto é como se o pai disse-se: “Filho, tu és um completo idiota, mas não se preocupe, isto está ao seu favor”. A obra é uma crítica moldada, no sentido de quanto mais idiota uma pessoa é, mais ascensão social ela terá. O núcleo do conto baseia-se em uma antifilosofia a respeito da reflexão sobre a vida, quanto menos você refletir sobre, mais feliz será.

Em uma análise comparativa pode-se perceber o quanto “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Teoria do Medalhão”, ambas de Machado de Assis, tem em comum.

Na primeira obra o protagonista diz que um dos fatos mais positivos de sua vida é que nunca teve de trabalhar. Janjão, um dos personagens da trama anterior aprende, desde muito jovem, que trabalhar duro não o levará à ascensão social. Analisando o contexto sócio-histórico, percebe-se que trabalhar é uma tarefa degradante associada, principalmente, às pessoas pobres.

Na obra em questão, o escritor realista soube pesar muito bem o seguinte ponto: as aparências e a propaganda pessoal são mais valiosas que a essência. O leitor acompanha um diálogo direto entre um pai que tenta se realizar na figura do filho, e um filho que aceita, passivamente, as determinações impostas pelo mais velho.

“Teoria do Medalhão” foi um conto originalmente publicado no Jornal Gazeta de Notícias e que, posteriormente, integrou o livro “Papeis Avulsos”. Muito além de uma simples trama, o conto transcende ao próprio livro e pode ser analisado sob óticas atuais ganhando, inclusive, releituras em épocas onde likes valem muito no mercado de aparências e felicidade instantânea.

“Teoria do Medalhão” sobreviveu ao tempo e transcendeu à sociedade brasileira do Século XIX, ganhando status de atual. Certamente, é uma obra que não pode deixar de ser lida pelos amantes de uma boa crítica social.