Simbolismo – Características Marcantes


Simbolismo

O Simbolismo surgiu no final do século XIX, na França, sendo reconhecido como um movimento artístico. As suas representações estavam presentes na literatura, nas artes plásticas e no teatro. O surgimento desse movimento foi marcado pela publicação da obra chamada “As Flores do Mal”, do escritor francês Charles Baudelaire, no ano de 1857. Na arte plástica, os artistas que marcaram o movimento foram: Gustave Moreau, Paul Gauguin e Bertrand-Jean Redon. Já no teatro, o destaque vai para os dramaturgos Maurice Maeterlinck e Gabriele d’Annunzio.

Pode-se dizer que as principais características de todo o movimento simbolista, seja no teatro ou nas artes plásticas, tinham como base as características já utilizadas na literatura da época. Na literatura, havia uma busca incessante para a realidade subjetiva. Tinha também como objetivo a valorização do “eu”, indo contra os princípios do realismo e naturalismo. De forma resumida, o simbolismo (como o nome já indica), tinha como princípio explorar todas as questões mais subjetivas, deixando a lógica e a razão de lado.

Características marcantes do Simbolismo

Foi descrito acima, algumas das características que faziam parte do Simbolismo. Agora, veja as características mais marcantes que determinaram o surgimento desse novo movimento artístico:

– subjetivismo e individualismo – todas as obras eram feitas para que o leitor/visitante/público fosse induzido a pensar mais em si mesmo, a se reconhecer como “eu”, princípio que até então não existia no realismo e naturalismo.

– exploração do consciente e inconsciente – seguindo a mesma lógica, o simbolismo tinha também como característica marcante a exploração do inconsciente e consciente, reafirmando o reconhecimento do “eu”.

– combinações sensoriais – deixando a razão de lado, o simbolismo tinha uma forte tendência às sensações.

– linguagem musical – a linguagem utilizada na literatura desse movimento era também mais leve, por isso era considerada mais fluída.