Classe, Estrutura e Formação de Palavras


Quando falamos em estrutura e classe de palavras, estamos falando de nada menos do que a Morfologia, que é o estudo de cada estrutura, formação e classe de palavras da língua portuguesa. Por isso, a morfologia está dividida em 10 classes de palavras ou, como as conhecemos, classes gramaticais, sendo elas: artigo, numeral, advérbio, preposição, interjeição, conjunção, pronome, adjetivo, verbo e substantivo.

Estrutura das palavras

O importante na língua portuguesa é o modo como as palavras são estruturadas e classificadas, mas para que isso seja possível é preciso que cada palavra seja dissecada ao máximo, fazendo assim com que possamos entender melhor como é sua estrutura.

Formação de Palavras

No português as palavras são constituídas por morfemas, que são pequenas unidades de palavras que quando unidas se transforma nas palavras propriamente ditas, são, portanto, as células das palavras que, quando juntas, formam o corpo da palavra.

Esses morfemas podem ser divididos em três elementos: os significativos ou básicos, os modificadores e os de ligação. Eles, juntos, formam todos os elementos que uma palavra precisa para ter sentido. Além disso, sabemos que as palavras possuem raiz, radical, infixos, afixos e vogal temática.

A raiz é aquele elemento que carrega o núcleo das palavras e que costuma não sofrer derivações, se mantendo sempre a mesma. Algumas palavras são da mesma família e possuem o mesmo radial, como as palavras estar e constar, sendo a raiz o st.

Já o radical é quem carrega o significado básico de todas as palavras e, por isso, suas variações possuem sempre o mesmo núcleo também, como em pedra, pedreiro, pedraria. Nesse caso, Pedr é o radical de todas essas palavras. Se pensar nos verbos, o radical é toda aquela parte que sobra quando tiramos o er ou o ar do verbo. Por exemplo, temos a palavra andar, nela o radical é and.

Os afixos são aquelas pequenas células que se unem ao radical para conseguir formar novas palavras e podem ser tanto prefixos, quanto sufixos. Por exemplo: se usar a palavra feliz e colocarmos um prefixo, teremos infeliz, já se colocarmos um sufixo na mesma palavra teremos felizmente.

Já os infixos são aquelas palavras que são conhecidas como consoantes ou vogais de ligação. Elas, no entanto, não são classificadas como morfemas, mas estão presentes também na estrutura das palavras. Por exemplo: em roda, se usarmos a vogal ‘o’ seguida do radical ‘via’, formaremos a palavra ‘rodovia’.

Já a vogal temática são as vogais a, e, i, o que se juntam ao radical e que podem estar presentes até mesmo nos verbos, como em falar, em fala a vogal ‘a’ é temática.

No entanto, quando nós temos flexões verbais de número ou gênero, são chamados de Desinências, que podem ser nominais, com as vogais o e a para gênero e s ou a ausência dele para número. Já nas desinências verbais, eles podem ser modo-temporal, que indicarão o tempo da palavra ou número pessoal. Já quando são verbos nominais, essas desinências indicarão as formas dos verbos, sendo gerúndio, infinitivo ou particípio.

Formação das palavras

Na língua portuguesa, as palavras podem ser formadas de duas maneiras: por meio de composição ou de derivação. Elas diferem quanto ao número de radicais, sendo que na derivação é usado apenas um radical; já em composição são usados mais de dois radicais por palavra.

As palavras derivadas têm, portanto, a característica de se obterem a partir de uma palavra já existe, como no caso de terra, que possui como derivados as palavras, terreiro, aterrar, enterrar, etc.

Já na derivação, ela pode existir como prefixal, na qual um prefixo se une a palavra ou sufixal no qual se une um sufixo, como já mostramos. No entanto, existe ainda a derivação parassintética que é quando a palavra possui o acréscimo tanto de um sufixo quanto de um prefixo, como na palavra emudecer, no qual o radical é o ‘mud’, o prefixo a vogal ‘e’ e o sufixo a célula ‘ecer’.

Existe ainda a derivação regressiva, na qual a palavra derivada é menor do que a original, como em sarampo, que deriva da palavra sarampão. As derivações deverbal são aquelas em que o verbo origina um substantivo, como em falar e fala, castigar e castigo ou ainda sacar e saque.

Classes de palavras

Os substantivos são palavras que designam o nome dos seres em geral, como as palavras, casa, balde, cachorro, entre outros. Os adjetivos são as palavras que modificam os substantivos e dão uma qualidade ou estado para as palavras como amoroso, dengoso, entre outras.

Os artigos são as palavras que definem ou não definem os substantivos e podem ser um, uma, uns, umas, o, os, a e as. Pronome é aquele que substitui ou acompanha o nome. Como os pronomes eu, seu, sua, meu, entre outros.

Numeral é a classe que organiza os substantivos e dá a quantidade exata, como, por exemplo, a palavra dobro ou metade. Verbo é aquela palavra que define uma ação ou estado e que é variável.

Os advérbios são classes invariáveis que exprimem circunstâncias como tempo, lugar, afirmação, entre outros. Já a preposição é aquela que liga os termos de toda a oração, como a palavra de, do, da, entre outras. Conjunção liga as orações de forma coordenada ou subordinada e a interjeição expressa emissões ou sensações.