Crase: Regra Geral, Casos onde Sempre Ocorre, Nunca Ocorre, Casos Especiais e Facultativos


Crase: Regra Geral, Casos onde Sempre Ocorre

Você sabe utilizar corretamente o sinal indicativo da crase? A crase, segundo Leila Sarmento, autora de diversas gramáticas, pode ser entendida como o processo de fusão da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”, ou, ainda, com determinados pronomes iniciados pela vogal “a”. Na escrita, é marcada pelo acento (à).

A seguir, conheça as principais ocorrências da crase:

Casos em que sempre ocorre a crase

1. Em locuções adverbiais formadas por preposição e palavra feminina, como, por exemplo, às pressas, à tarde, à noite, às vezes etc.;
2. Em locuções prepositivas: à frente de, à custa de etc.;
3. Em locuções conjuntivas: à medida que, à proporção que etc.;
4. Nos casos em que os pronomes demostrativos vierem precedidos de verbos regidos pela preposição a. Exemplo: Referia-se àquilo (quem se refere se refere a, logo o verbo se referir é regido pela preposição a);
5. Quando se subentendem as expressões à moda de, à maneira de. Exemplo: Fiz arroz à grega. Fiz um gol à Ronaldinho. (À maneira de Ronaldinho);
6. Quando houver numerais indicando horas. Exemplo: Às 9h irei ao seu apartamento;
7. Antes de nomes de lugares que admitem artigos. Exemplo: Vou à França;
8. Antes das palavras “casa” e “terra”, se vierem determinadas. Exemplo: Vou à casa de José amanhã.

Casos em que nunca ocorre crase

1. Antes de palavra no masculino;
2. Quando a preposição estiver no singular seguido de um substantivo no plural;
3. Antes de verbos;
4. Antes de pronomes indefinidos e daqueles que repelem o artigo;
5. Diante de palavras repetidas ligadas por preposição;
6. Na locução “a distância”, quando a noção de distância não estiver determinada.

Casos em que pode ou não ocorrer crase

1. Diante de pronomes possessivos femininos no singular;
2. Diante de substantivos próprios femininos;
3. Após a locução prepositiva “até (à) a”.