Formação de Palavras pela Derivação e Composição


Existem dois processos básicos de formação de pa­lavras em língua, portuguesa: a derivação e a composi­ção.

Derivação: A derivação consiste na junção de afixos (prefixos e sufixos) ao radical (fixo ou semantema) a fim de que a palavra primitiva seja transformada – mudando até mes­mo sua classe gramatical de origem. Vale ressaltar que o radical é a estrutura da palavra que contém a carga se­mântica desta, ou seja, a significação encontra-se nele. A principal característica desse processo é a formação de uma nova palavra, com valor gramatical e função lin­guística diferentes, a partir de apenas um radical.

Formação de Palavras

Classificação do processo de formação por derivação:
•    Derivação prefixai – Ocorre quando se coloca um prefixo à frente do radical. Exemplo: prefixo i- (de negação) + real = irreal. Nesse caso, a palavra real é primitiva e irreal é de­rivada, e o processo de formação é a prefixação.

•    Derivação sufixai – ocorre quando se coloca um sufixo após o radical. Exemplo: real -f sufixo -dade (formador de substanti­vos abstratos) = realidade. Nesse caso, o substantivo/adjetivo passou por uma transformação que denota abstração, e o processo de for­mação é a sufixação.

•    Derivação prefixai e sufixai – ocorre quando um prefixo e um sufixo são adicionados ao ra­dical. Exemplo: í : prefixo i- + real + sufixo -dade = irrealidade.

•    Derivação parassintética – assim como na de­rivação prefixai e sufixai, um prefixo e um su­fixo são adicionados ao radical; a diferença en­tre esses processos é que a derivação parassin­tética não permite o desmembramento da pala­vra, ou seja, se os afixos forem retirados, ela perde o significado. Exemplo: prefixo em- + rico + sufixo -ecer = enri­quecer

Em alguns casos, existe a possibilidade de se retirar o prefixo da palavra e o radical com o sufixo manterem uma significação aceitável, compreensível, mas, mesmo assim, o processo é classificado como derivação paras­sintética. Exemplo: prefixo dês- + regra + sufixo -ado = des­regrado
Perceba que a palavra regrado existe em língua por­tuguesa, mas o mesmo não acontece com desregra. O uso desse termo seria possível apenas em um contexto em que ele fosse um verbo flexionado na terceira pessoa do singular.

Além desses processos, há dois que não resultam de anexação de afixos: a derivação regressiva e a deriva­ção imprópria.

• Derivação regressiva – trata-se da transforma­ção de verbos em substantivos. Os processos anteriores ampliam as palavras primitivas, ao passo que este as reduz. Exemplos:
amparar – amparo
perder – perda
apelar – apelo
pescar – pesca
atacar – ataque
sacar – saque
caçar – caça
sustentar – sustento
chorar – choro
tocar – toque
cortar – corte
vender – venda

A palavra derivada desse processo é denominada deverbal, e há casos em que ela pode ser flexionada em gênero (masculino e feminino). Exemplos:
ameaçar – ameaço/ameaça custar – custo/custa trocar – troco/troca.

• Derivação imprópria (conversão, habilitação ou hipóstase) – Há possibilidade de se criar uma nova palavra sem, contudo, modificar sua for­ma. Esse processo ocorre quando se usa a pala­vra anteposta por um determinante (artigo, nu­meral ou pronome) e é denominado substantivação. Exemplo: o dois o pensar a veneziana.

Também existe a possibilidade de serem formadas palavras com dois ou mais radicais. Trata-se da compo­sição.

Composição: Ocorre quando dois radicais formam uma palavra cujo significado é, em geral, dissociado do das palavras que a compõem. Existem dois tipos de composição: jus­taposição e aglutinação.

Justaposição: Processo pelo qual as palavras se unem sem perda de fonemas. Exemplos:
terça-feira
guarda-roupa
beija-flor
passatempo
madrepérola

Aglutinação: Processo pelo qual as palavras se unem mediante a perda de fonemas ou sílabas. Exemplos: aguardente fidalgo embora pernalta

Outros processos de formação de palavras

Hibridismo: Ocorre quando há junção de dois ou mais radicais de línguas diferentes. Exemplos: auto (grego) + móvel (latim) = automóvel buro (francês) + cracia (grego) = burocracia futebol (inglês) + ista (português) = futebolista sócio (latim) + logia (grego) = sociologia

Siglificação (siglas)
É o processo que consiste em transformar o nome de uma instituição, associação, partido político, etc. em uma sigla. Exemplos: PT – Partido dos Trabalhadores ONU – Organização das Nações Unidas Unesco – United  Nations  Educational, Scientific and Cultural Organization. OEA – Organização dos Estados Americanos UNE – União Nacional dos Estudantes MEC – Ministério da Educação e Cultura.

Abreviação vocabular (redução): Um primeiro cuidado que se deve ter com a abrevia­ção é não confundi-la com a abreviatura. Esta representa a palavra pelo uso de suas primeiras letras (Dr., Sr., abrev., etc.). A abreviação consiste na redução da pala­vra até limites que não prejudiquem sua compreensão. Exemplos:
moto (motocicleta) foto (fotografia) cine (cinema) pneu (pneumático) quilo (quilograma).

Neologismo: Trata-se de um processo de criação de palavras no­vas ou de atribuição de sentido diverso do usual para aquelas que já existem. A fala é um mecanismo bastante rico para a criação de neologismos, principalmente por ser menor o comprometimento do falante em relação às normas gramaticais em situações de informalidade. E muitas das novas palavras são formadas pelos processos até aqui estudados. Um exemplo claro de neologismo gerado por sufixação é o da palavra sem-vergonhice. Exemplos: