Predicação Verbal: Conceito, Tipos de Verbos e Divisão


A Língua Portuguesa é difícil, confunde muitos estudantes e, até mesmo, quem já terminou a escola. Cheia de peculiaridade e regras, a nossa língua nativa pode, muitas vezes, nos deixar em dúvida.

Uma das regras que pode dar um verdadeiro nó em nossa cabeça é a Predicação Verbal, que nada mais é do que o resultado estabelecido pela ligação entre sujeito, verbo e complementos. O predicado é, portanto, um verbo ou até mesmo uma locução verbal que dá a ideia de ação de modo transitivo ou intransitivo.

predicacao-verbal-conceito-tipos-de-verbos-e-divisao

Os tipos de verbo da predicação verbal

Antes de aprofundar mais no assunto, é preciso que você entenda o que é o predicado verbal. Ele tem como característica o verbo como predicado, já que é ele que carrega a ação. Muita gente também o conhece como o significativo da frase. Abaixo vamos exemplificar:

“A menina correu do carro”. Nesta frase conseguimos identificar facilmente o sujeito da oração, que é “a menina”, sendo que o núcleo do sujeito é a palavra “menina”, o predicado é o “correu do carro” e o núcleo do predicado é o verbo “correu”. Na frase, o predicado é o verbal já que é ele quem traz a ação de toda a operação.

Para que você consiga entender mais sobre o assunto, pegue alguns outros exemplos e tente você mesmo encontrar em cada um o sujeito e o predicado. “O aluno estudou para as provas” e também “O bebê brincou com a chupeta”.

É importante saber que, dentro da Predicação Verbal, os verbos do predicativo são ainda divididos em diretos, indiretos e também de ligação e é preciso ter cuidado na hora de analisar cada um deles.

A divisão da Predicação Verbal

Verbo intransitivo: chamamos de intransitivo todo e qualquer verbo que não necessite de complemento para ser entendido. Em resumo, é aquele verbo que completa a ação, sem precisar que nada venha depois dele para completar ou dar sentido a oração. Por exemplo: “O garoto caiu”. Neste caso, “o garoto” é o sujeito da oração, enquanto “caiu” é o predicado verbal, sendo o verbo cair um verbo intransitivo, já que ele encerra a ação sem a necessidade de um complemento.

Fique ligado: Muita gente, no entanto, deve estar se perguntando onde o menino caiu e pensando que esse, talvez, possa ser o complemento do verbo. É importante não fazer essa confusão já que o local onde o menino caiu não é importante para a ação da frase e pro isso é um adjunto adverbial de lugar. Os verbos intransitivos costumam ser seguidos de adjuntos adverbiais de lugar que indicam direção ou sentido, de tempo e também de meio. Mas eles não são necessários para que a frase tenha sentido.

Dentro da predicação verbal existem ainda os verbos transitivos que necessitam de um complemento para fazerem sentido e, por isso, são conhecidos como o verbo que transita, daí a palavra transitivo.

Um exemplo importante de verbo transitivo é o verbo sentir, sem complemento você não entenderá a oração da forma correta e se perguntará: sente o quê? Confira: “Maria sente ciúmes”. Sem a palavra “ciúmes” Maria poderia sentir dor, alegria, raiva, mas ela na verdade sente ciúmes. Por isso, a Predicação Verbal de sentir é um verbo transitivo.

Como o português é cheio de regras, aqui uma nova divisão se faz necessária. Os verbos transitivos podem ser de três ordens: diretos, indiretos e até mesmo direto e indireto.

Os verbos transitivos diretos são aqueles nos quais o complemento segue o verbo sem precisar de preposição, como no verbo escutar. “Os fãs escutaram nossa música com entusiasmo”. Outro verbo transitivo direto é o comprar. “Joana comprou um carro”.

Já os verbos transitivos indiretos necessitam de uma preposição antes do complemento para que sejam compreendidos. Eles são chamados de objetos indiretos. O verbo gostar é o mais conhecido dos transitivos indiretos, já que é preciso que você explique do que gosta. Por exemplo: “Eu gosto de livros”. O uso da preposição faz com que o verbo transitivo indireto. Outro exemplo é o verbo precisar, já que toda vez que você precisa, você precisa de algo ou de alguém. “João precisa de ajuda”.

Já a Predicação Verbal, na qual o verbo é transitivo direto e indireto, é quando o verbo exige pelo menos dois complementos, ou seja, ele transita de forma direta e indiretamente. Como, por exemplo, o verbo contar. “Ana contou uma fofoca ao Caio”.

O verbo contar precisou de dois complementos, o da fofoca e o da pessoa para quem ela contou. Neste caso, o verbo da predicação verbal é, portanto, transitivo direto e indireto.

Por último, está o verbo de ligação. Dentro da predicação verbal é aquele que expressa um estado e é responsável por ligar algumas características ao sujeito da oração, como, por exemplo, o verbo ser. “Joana é loira”.