Sintaxe de Regência e Estudo da Crase: Casos em que Ocorre e Casos que Nunca Ocorre


Todas as frases a seguir apresentam algum desvio em relação à norma culta. Reescreva-as, corrigindo os eventuais problemas. “Finalmente consegui assistir o filme da Maryl Streep”! A sintaxe de regência trata da propriedade que uma palavra tem de atrair para si um complemento. Ao se estu­darem os termos da oração, foi visto que verbos e nomes podem ser transitivos, ou seja, podem exigir um comple­mento, e que a ligação entre verbos/nomes e seus comple­mentos pode se dar por meio de preposições.

Sintaxe de Regência e Estudo da Crase

Assim, diz-se que os verbos e os nomes que exigem a presença de complementos são regentes e os que comple­tam sua significação são os regidos.
O problema é que no Brasil alguns usos como “Assisti o filme”, “Eu vou no cinema”, “Obedeça o seu pai”, “Che­guei em casa” já se tornaram muito comuns na fala, embo­ra as regras gramaticais apontem as seguintes correções: Assisti ao filme. Eu vou ao cinema. Obedeça ao seu pai. Cheguei a casa.

Regência nominal

Há nomes cuja regência pode ser facilmente identificada. Alguns, entretanto, talvez por serem menos utilizados, requerem algum cuidado. A opção pela preposição adequada é feita conforme a exigência do contexto. A seguir, há uma lista com alguns nomes e as respectivas preposições com as quais são utilizados, para servir como fonte de consulta em caso de dúvida.

acessível (a)
agradável (a)
amor (a, de, por)
ansioso (de, para, por)
ávido (de)
capaz (de, para)
contíguo (a)
descontente (com)
devoção (a, para com, com)
equivalente (a)
fácil (de)
generoso (com)
habituado (a)
imbuído (de, em)
impróprio (para)
liberal (com)
necessário (a)
ojenza (a, por)
passível (de)
prestes (a)
relacionado (com)
satisfeito (com, de, em, por)
sito (em)
vazio (de)
acostumado (a, com)
alheio (a, de)
analogia (com, entre)
apto (a, para)
benéfico (a)
compatível (com)
contrário (a)
desejoso (de)
dúvida (acerca de, em, sobre)
escasso (de)
fanático (por)
grato (a)
horror (a)
imune (a)
indeciso (em)
medo (a, de)
nocivo (a)
paralelo (a)
preferível (a)
propício (a)
residente (em)
semelhante (a)
suspeito (de)
vinculado (a)
afável (com, para com)
alienado (de)
análogo (a)
aversão (a, para, por)
capacidade (de, para)
contemporâneo (a, de)
curioso (de, por)
diferente (de)
entendido (em)
essencial (para)
favorável (a)
hábil (em)
idêntico (a)
incompatível (com)
insensível (a)
morador (em)
obediência (a)
parco (em, de)
prejudicial (a)
próximo (a, de)
respeito (a, com, para com)
sensível (a)
transversal (a)
vizinho (a, de)

Crase

A crase ocorre sempre diante de palavra feminina que admita o artigo a anteposto e que esteja relacionada a outra que exija a preposição a.
Observe algumas situações em que ocorre crase. No trecho “Não dá tempo aos recém-chegados de se adaptarem à cultura local” ocorre crase. Perceba que o verbo adaptar-se exige a preposição a e a palavra femi­nina cultura admite o artigo a anteposto.

O mesmo acontece com o substantivo restrições em: Nas locuções prepositivas (à vista de, à espera de, à semelhança de, etc.), nas locuções conjuntivas (à pro­porção que, à medida que, etc.) e nas locuções adverbi­ais (à noite, à tarde, à esquerda, às pressas, às vezes, etc.) ocorre a presença da preposição a e do artigo a, daí a presença do acento grave indicativo da crase.

Casos em que nunca ocorre crase
• Antes de nomes masculinos. Esta prova pertence a Antônio.
• Antes de verbos no infinitivo. Começou a garoar de repente.
• Com a no singular, anteposto a palavra no plural. Refiro-me a músicas antigas regravadas por jo­vens intérpretes.
• Antes de numeral (exceção horas, como expres­sões adverbiais). O número de aprovados chegou a trezentos.
• Antes da palavra casa não-determinada.
• Antes de chegar a casa, tratou de guardar as faturas no bolso. (Se a palavra casa estiver deter­minada, ocorre crase. Antes de viajar, irei à casa de meus pais.)
• Antes da palavra terra empregada no sentido de “chão firme”, opondo-se a bordo. Chegando a terra, os marinheiros buscavam di­versão nos bares. (Quando terra designar local, região, pátria, solo, ocorre crase.)
• Na locução a distância, exceto se a palavra dis­tância estiver determinada. Observamos a queima de fogos a distância.
• Em locuções adverbiais formadas de palavras re­petidas. Eles ficaram frente a frente.

Atenção!

Com nomes próprios geográficos, substitui-se o ver­bo da frase pelo verbo voltar. Se resultar a expressão voltar da, confirma-se a ocorrência de crase. Iremos à Bahia. – Voltaremos da Bahia. (Confirmada a crase.) Viajarei a Brasília. – Voltarei de Brasília. (Não ocor­re crase.)

Os pronomes senhora e senhorita admitem ar­tigo, portanto deve levar acento grave o a que os antecede, desde que o termo regente exija a preposição a. Ocorre crase antes do pronome relativo qual(is), se seu antecedente for uma palavra feminina e o pronome relativo depender de um termo regi­do pela preposição a, Guarde essa folha, à qual anexei um convite. Crase não é o nome do acento, mas do fenômeno. O acento grave indica que houve a fu­são da preposição a com o artigo a.