Linguagem, Estrutura e Processo de Formação de Palavras


Linguagem, Estrutura

Linguagem é o conjunto de códigos, aceitos e compreendidos, que permitem a comunicação entre duas ou mais pessoas.

A linguagem é o único meio que permite a dois seres, humanos ou não, se comunicarem. Os códigos de linguagem podem ser gestuais, orais ou gráficos.

A mais sofisticada estrutura de códigos de linguagem é a escrita, por meio da qual é possível comunicar raciocínios complexos. A linguagem escrita se serve de um manancial de códigos que se inter relacionam, chamado língua.

A língua permite, por meio das palavras, que o indivíduo verbalize pensamentos, ideias e sentimentos, valendo-se do conhecimento e da capacidade de ordenar esses códigos de acordo com as regras linguísticas, que normatizam o uso da língua como ferramenta de linguagem sofisticada.

Estrutura da palavra

Um texto é constituído de palavras. As palavras e acentos gráficos são os códigos que dão sentido às coisas e, ao formar frases, podem dar sentido a ideias e acontecimentos.

A palavra é a matéria prima da comunicação, a estrutura por meio da qual flui sentido. Essa estrutura é formada por partes menores, dotadas de significado. São os chamados elementos mórficos ou morfemas.

Os morfemas podem ser: radical, desinência, vogais, vogal temática, consoantes de ligação e afixos.

Radical

O radical é a parte principal da palavra, aquela que lhe dá sentido.

Um exemplo de radical é a palavra “jornal”, que, por si, é dotada de sentido. É o radical em palavras como “jornaleiro” e “jornalista”.

Desinência

A desinência pode ser nominal ou verbal.

A desinência nominal indica gênero e número. Na palavra meninos, o “o” indica o gênero masculino e o “s” indica plural.

A desinência verbal indica a pessoa, número, tempo e modo.

Vogal temática

É a vogal que possibilita a ligação entre o radical e uma desinência. É o caso da palavra “voltar”. “Volt” é o radical e “r”. O “a” surge apenas para dar forma à palavra.

Afixos

São morfemas que se posicionam antes ou depois do radical alterando-lhe o significado básico. São divididos em: prefixos e sufixos.

Prefixos

Aparecem antes do radical.

Ex: inviável – prefixo “in” altera o radical viável.

Sufixos

Aparecem após o radical.

Ex: felicidade – sufixo “dade” altera o radical feliz.

Vogais ou consoantes de ligação

São utilizadas para dar consistência a uma palavra, inserindo-se entre dois morfemas.