Processo de Formação de Palavras através da Composição e Derivação


Processo de Formação de Palavras

As palavras que compõem a língua são formadas, basicamente, por meio de dois processos morfológicos: derivação e composição.

As derivações podem ser: prefixais, sufixais, parassintéticas, regressivas e impróprias.

A composição pode ocorrer por justaposição e aglutinação.

Palavras primitivas e derivadas

As palavras primitivas são aquelas que originam outras palavras. As derivadas, por sua vez, são aquelas formadas a partir das primitivas.

Exemplos:

– mente (primitiva) – mental, mentalidade, mentalizar, mentalmente (derivadas)
– mar (primitiva) – marítima, maremoto, maresia, marola (derivadas)
– dente (primitiva) – dentista, dentário, dentição (derivadas)

Afixos

Os afixos são morfemas. Os morfemas são as menores partículas da língua com significado. Elas unem-se aos radicais, formando outras palavras. A palavra “amor” é uma palavra primitiva. “Amoroso” é uma palavra derivada, em que o afixo “oso” se une ao radical para formar uma outra palavra, transformando um substantivo em adjetivo.

Os afixos podem ser sufixos (quando ocorrem ao final do radical) ou prefixos (quando ocorrem antes do radical).

A palavra jornaleiro possui um sufixo “eiro”, que modifica a palavra “jornal”, transformando um substantivo em outro substantivo..

Já na palavra “impróprio”, o prefixo “im” modifica a palavra “próprio”, transformando um adjetivo em antônimo.

Derivação regressiva

Ocorre quando uma palavra derivada produz uma forma reduzida do radical. Por exemplo: agito (radical = agitar), amasso (radical = amar), compra (radical = comprar).

Derivação imprópria

Ocorre quando as palavras mudam de classe gramatical sem sofrer qualquer alteração em sua forma.

Exemplo:

– Forma normal – É difícil encontrar homens bons.
– Forma derivada imprópria – Os bons são difíceis de encontrar.

– Forma normal – O fantasma assombrava após a meia noite
– Forma derivada imprópria – Seu amigo fantasma nunca foi visto.

Composição

A composição é um processo pelo qual dois radicais se unem, formando uma terceira palavra. Esse processo pode ocorrer de duas formas: justaposição ou aglutinação.

A justaposição é quando os radicais se unem sem sofrer alterações em sua estrutura, como nas palavras: guarda-chuva, abre-alas, surdo-mudo, para-brisa, abre alas, couve-flor, peixe-espada, água-de-colônia, pé de moleque, roda-viva, água viva, beija-flor, arco-íris, amor perfeito, bem-me-quer

A aglutinação é o processo por meio do qual dois radicais se unem, porém, ao contrário da justaposição, sofrem alterações, como é o caso das palavras: planalto (plano + alto), aguardente (água + ardente), fidalgo (filho + de + algo).