Exemplos de Compostos Químicos com base no conceito de NOX e Valência

Exemplos de Compostos Químicos

Como você já sabe, o tipo de ligação que os átomos estabelecem entre si (de valência ou de oxirredução) forma os compostos químicos que conhecemos, e determina suas propriedades (baixos ou altos pontos de fusão e ebulição, o que determina seu estado físico na temperatura ambiente; solubilidade; condução de eletricidade; e tenacidade), aproveitadas pelos homens nas mais diversas áreas.

Neste texto, vamos ver alguns exemplos de cada um destes tipos. Continue lendo!

Valência

Um elemento cria uma ligação com outro na tentativa de se estabilizar, isto é, conseguir completar oito elétrons na última camada de valência (regra do octeto). Como nenhum dos elementos é mais eletronegativo que o outro, eles compartilham pares de elétrons, caracterizando uma ligação covalente. Sem polarização, nenhum se torna íon. Exemplos:

-Ligação monovalente: H2.

-Ligação bivalente: O2.

-Ligação trivalente: N2.

-Ligação tetravalente: CH4.

Atentar também para a ligação dativa ou coordenada, que é quando um elemento tem um par de elétrons sobrando após completar a sua valência, e há outro precisando de mais um par de elétrons. Neste caso, o elemento com elétrons sobrando doa sem receber mais elétrons. Isto, na fórmula estrutural, é representado com uma flecha, que parte do doador para o receptor. Exemplo: CO2.

Oxirredução e conceito de NOX

Quando a ligação envolve transferência de elétrons, diz-se que ela é redox, ou de oxirredução. Para representá-la, foi criado o número de oxidação, ou NOX: quando acontece uma oxidação, há aumento desse número, e quando acontece redução da oxidação, o número diminui. Isso torna mais fácil saber quando uma ligação é redox.

O NOX de um elemento é a carga elétrica que ele adquire numa transferência de elétrons, ou a carga parcial resultante de uma ligação covalente, que depende da eletronegatividade dele, ou seja, de sua tendência maior ou menor a atrair para si os elétrons dos outros.

Assim, alguns elementos terão NOX variados, conforme o composto que estejam integrando. Já os que forem muito eletronegativos ou muito eletropositivos terão o mesmo NOX em diferentes compostos. O fato de estes seguirem um padrão facilita calcular o NOX de cada elemento de uma fórmula, pois o recomendado é começar por esses números já conhecidos. Entre estes estão os das famílias 1A, 2A e 7A, prata, alumínio e enxofre. Hidrogênio e oxigênio, apesar de serem igualmente importantes, apresentam variações.

Para determinar o restante, há algumas regrinhas:

-Como uma substância é neutra, seu NOX deve sempre dar 0, seja ela simples ou composta. Exemplos de substâncias simples: O2, S8.

– Exemplo de substância composta:

H2SO4:

H = +1; como há 2 átomos, a carga de H é +2;

O = -2; como há 4 átomos, a carga de O é -8.

O resultado desta soma é -6. Se o NOX da substância é 0, a carga de S só pode ser +6.

-Num íon composto, a soma de todos os seus elementos deve sempre dar a carga do íon. Exemplo:

NH4+, de NOX +1:

H = +1. Como são 4 átomos, a carga de H é de +4.

O NOX de N deve, ao ser somado com +4, dar +1, que é a carga do ânion de amônio. Assim, a carga de N só pode ser -3.

-Num íon simples, o NOX é sempre 0. Exemplos: Na+1, Cu+2.

-O NOX de íons é igual à sua carga. Exemplo: o NOX de S2- é -2.