Funções Orgânicas e Equilíbrio Químico


Equilíbrio Químico

Na química, as substâncias são agrupadas de acordo com suas propriedades, características comuns e função.
Cada função orgânica se caracteriza por um grupo funcional, determinando características e nomenclaturas específicas.
Para isso, a IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) determinou uma regra de nomenclatura geral para as funções orgânicas, baseadas no esquema a seguir:
Nomenclatura: PREFIXO + INFIXO + SUFIXO (a depender da função química)
Sufixo Infixo
N° de Carbonos Saturação da Cadeia
1C MET Saturadas AN
2C ET Saturadas
3C PROP Insaturadas
4C BUT Insaturadas
5C PENT 1 dupla EN
6C HEX 2 duplas DIEN
7C HEPT 3 duplas TRIEN
8C OCT
9C NON 1 tripla IN
10C DEC 2 triplas DIIN
11C UNDEC 3 triplas TRIIN

Quando a cadeia possuir ramificações, se utiliza a nomenclatura referente ao número de carbonos da ramificação seguida do sufixo IL para indicar um radical.
A partir dessa regra geral, se nomeia qualquer função orgânica, apenas conhecendo o sufixo relacionado ao seu grupo funcional.
As funções orgânicas são divididas em hidrocarbonetos, funções oxigenadas, funções nitrogenadas, funções halogenadas e outras funções menores.
Entenda o que é equilíbrio químico
Equilíbrio Químico
O equilíbrio químico ocorre quando, em uma reação reversível, a velocidade da reação direta é igual à velocidade da reação inversa.
Tendo o estado de equilíbrio atingido, as concentrações de reagentes e produtos permanecem constantes. Assim, a reação química continua a ocorrer nos dois sentidos, com a mesma velocidade, permanecendo as concentrações de reagentes e produtos constantes.
Por causa dessa característica, dizemos também que o equilíbrio químico é um equilíbrio dinâmico.
Quando a reação “para” de acontecer, as concentrações de reagentes e produtos se alteram e, assim, se perde o equilíbrio.
Para que o estado de equilíbrio possa ser atingido, é necessário que o sistema se encontre em um recipiente fechado e a temperatura fique constante.