Ouro branco


Quando pensamos em ouro, a primeira coisa que chega na nossa cabeça é a cor amarela, dourada e brilhante, encontrada principalmente em joias, relógios, acessórios de beleza e as famosas barras de ouro. Porém, o ouro branco também existe e foi desenvolvido há muito tempo para a produção de joias e acessórios.

Ouro branco

Para entender a formação do ouro branco, precisamos entender o que são as ligas metálicas. Materiais que possuem as mesmas características dos metais que se formam a partir de dois ou mais elementos químicos, as ligas metálicas são produzidas de maneira artificial e possuem propriedades que a maioria dos metais considerados puros não tem.

O maior exemplo de liga metálica é o ouro branco. Mas do que ele é composto? Desenvolvido para substituir a platina, o ouro branco é totalmente composto por ouro, prata, paládio e níquel. A platina é um metal de transição muito difícil de ser encontrado na natureza, o que acaba elevando seu custo. Por isso, o ouro branco foi desenvolvido para substituí-la.

Produção e formação do ouro branco

Geralmente, o ouro branco é formado por 75% de ouro e 25% de metais brancos, como a prata, o níquel e o paládio. Mas essas porcentagens não são consideradas como regras, por isso, podem sofrer alterações durante a produção dessa liga metálica. Para formar o famoso ouro branco de 18 quilates, é necessária a utilização do ouro 24 quilates com a mistura de partes semelhantes de prata e de paládio.

Mas como é feita a formação do ouro branco? Durante a mistura de elementos, o objetivo é alcançar uma liga metálica que tenha uma cor tão clara quanto a coloração da platina. Por isso, a mistura acaba passando por um processo de galvanização, também chamado de banho de ródio.

Técnica que atua no revestimento de um metal por outro, a galvanização tem como principal objetivo a proteção do elemento contra os efeitos da corrosão e a melhora da sua aparência. Esse revestimento é feito por meio da eletrólise e também pode ser realizada através da total imersão do metal que receberá o revestimento diretamente no metal fundido que fará a função de revesti-lo.

Diversos metais podem ser utilizados para revestir uma peça durante o processo de galvanização. Os principais e mais usados durante essa técnica são:

Cromo, realizando a cromagem;
Níquel, realizando a niquelação;
Prata;
Zico;
Estanho;
Ouro;
Paládio

Quando possui níquel em sua composição, o ouro branco geralmente é utilizado para que joias por fundição sejam feitas. Isso acontece porque o níquel é um elemento químico que possui um ponto baixo de fusão, cerca de 1455°C, característica que faz com que os custos da produção dessas joias seja mais baixo e o manejo dos materiais se torne mais fácil também.

O ouro branco paladinado também é muito famoso e é feito com a presença do metal paládio. Nesse caso, o uso da técnica de fundição para a fabricação das joias com paládio não é indicada, pois o ponto de fusão desse elemento é muito alto e pode chegar a 1544°C.

Por se tratar de um metal extremamente raro e que possui um grau de pureza extremamente elevado, o paládio acaba agregando muito valor para as peças que são feitas com sua utilização. Por isso, o ouro branco paladinado é considerada uma liga metálica extremamente valiosa e que custa muito caro.

Todas as peças produzidas com o ouro branco paladinado e que possuem essa matéria-prima como principal elemento da peça são feitas com processos diferentes da fundição, que não se aplica muito bem nesses casos. Essas peças se destacam no mercado e são alvo de consumo de homens e mulheres por não causarem dermatites, as famosas alergias que causam muita conceira e irritação na região em que a joia é utilizada.

Quilates

Com o passar dos anos, o ouro puro acabou se tornando um elemento pouco utilizado. Agora, é muito comum que ele seja misturado com outros elementos, formando ligas metálicas como o ouro branco. Por isso, para medir a sua pureza, utilizamos a denominação quilate.

O quilate consegue indicar exatamente a quantidade de partes de ouro que estão presentes na mistura de uma ligação metálica. Isso significa que o quilate corresponde à razão presente na massa de ouro e na massa total da mistura. Essas partes são multiplicadas por 24 e, dessa forma, consegue-se definir a quantidade de ouro puro presente na peça.

É preciso ter em mente a variação que a composição da liga metálica pode ter. Essas alterações na formação da liga metálica podem causar impactos importantes na aparência do metal finalizado. Dependendo dos elementos químicos utilizados, o resultado final pode apresentar um prateado mais vivo ou um prateado mais brilhante. Em geral, o ouro branco é uma liga que não apresenta muito brilho e possui um tom mais acinzentado.