Aprendizado em um Contexto de Mudança


Aprendizado
Aprendizado é um processo que leva à apropriação de ativos cognitivos. Esses ativos se dividem em duas variáveis: conhecimento e habilidades.

Para entender e qualificar o aprendizado do ponto de vista individual é fundamental a separação dessas duas variáveis. As habilidades podem ser adquiridas e desenvolvidas. Estão ligadas à forma como o indivíduo se insere na complexidade social. São as habilidades, cognitivas e motoras, que lhe asseguram a sobrevivência, uma integração positiva e exitosa ao meio.

Essas habilidades tendem a se renovar, se recriar e serem substituídas num contexto de mudança permanente, produto da escalada tecnológica. Isso pode ser exemplificado a partir do conjunto de novas profissões trazidas pelas novas conjunturas, assim como a extinção, por obsolescência, de outras.

Nesse sentido, o aprendizado se impõe como uma iniciativa individual, como forma de apropriação de novas habilidades, o que chamamos de atualização. Adquirir novas habilidades é a condição, em pleno século XXI, não só para que o indivíduo se mantenha útil no ambiente do mercado de trabalho, como para se apropriar de novas e mais sofisticadas formas de fazer as coisas.

O conhecimento no contexto de mudança

O conhecimento é, antes de tudo, atemporal. Ele é, também, mutável, na medida em que a sociedade humana avança na investigação e na apropriação das diversas realidades.

No âmbito do conhecimento, o próprio corpo humano ainda é um mistério para a ciência. A cada dia são feitas novas descobertas que amanhã poderão se mostrar crenças frágeis diante de novas evidências. A relação entre a verdade e o conhecimento é, por si só, frágil. Durante muito tempo, Plutão foi considerado um planeta do Sistema Solar, descoberto, em 1930, pelo astrônomo Clyde Tombaugh. Recentemente, no entanto, perdeu a classificação de “planeta”.

Tudo isso aconteceu em menos de cem anos, mostrando que a propriedade do conhecimento acelera a aquisição de novos conhecimentos e a substituição de outros, uma vez que estão relacionados à aceleração da apropriação de novas e mais sofisticadas técnicas de investigação pela ciência.

Resumindo, o conhecimento, como produto do processo de aprendizado, é mutável na medida em que se aprofunda e se apropria de novas variáveis e evidências. É, portanto, o conhecimento das possibilidades, não necessariamente da verdade enquanto faixa de chegada do processo investigativo.

O conhecimento, enquanto processo de aprendizado, está condicionado pela investigação, sendo um processo mais lento que aquele imposto a quem precisa dominar novas habilidades, processo impulsionado e acelerado pelo avanço tecnológico, razão pela qual é preciso estabelecer uma separação entre essas duas variáveis do conhecimento, de modo a identificar o que é volátil e o que é perene, bem como a importância de cada uma dessas duas variáveis.